Processo de globalização vai padronizar linha de motores e arquitetura, para reduzir custos de produção

Honda Accord 2016
Honda/Divulgação
Honda Accord 2016

O lançamento da décima geração do Civic é muito mais importante para a Honda  do que parece, pois é dele que virão os novos motores e a arquitetura para a construção dos novos CR-V e Accord . O presidente da Honda, Takahiro Hachigo anunciou em uma conferência os planos da empresa para o futuro.

Foi no novo Civic que a Honda estreou a linha de motores VTEC turbo. O sedã é equipado com a versão 1.5 de 174 cv, enquanto a marca trabalha em um 1.0 de três cilindros, de 130 cv (que aposenta o 1.5) e no 2.0 de 280 cv. Assim como nos EUA, o sedã nacional deve manter um motor aspirado no modelo de entrada – no nosso caso, o 1.8 de 139 cv.

“Esses modelos serão lançados como produtos com um nível ainda mais refinado de desempenho e design. A adoção dessa nova plataforma e motorização ajuda a aumentar não apenas a atratividade de nosso produto, mas os pontos em comum entre diferentes modelos. Isso significa maior eficiência no desenvolvimento e produção de modelos globais”, explicou Hachigo.

A quarta geração do CR-V foi lançada no Brasil em 2012 e passou por uma renovação em 2015. Já o Accord, em sua nona geração, desembarcou por aqui em 2013. Deixou de ser importado por algum tempo e retornou em janeiro deste ano, já com o novo visual.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.