Linha de montagem do hatch A1 é paralisada em Bruxelas. Cerca de 250 unidades do modelo deixaram de ser fabricadas

Linha de montagem do Audi A1, em Bruxelas, na Bélgica
Divulgação
Linha de montagem do Audi A1, em Bruxelas, na Bélgica

A Audi decide interromper temporariamente a produção do pequeno hatch A1 na sua linha de produção em Bruxelas depois dos ataques terroristas que aconteceram na manhã desta terça-feira, dia 22. Três explosões no aeroporto e no metrô da cidade causaram 31 mortes e 198 feridos, o que levou a marca alemã a cancelar o turno de trabalho para evitar mais tragédias causadas pelo terroristas.

A Audi informou também que todos os seus 1.100 empregados que iriam para o turno da tarde foram mantidos em suas casas. Com isso, a fabricante deixou de montar cerca de 250 unidades do A1 , mas esse volume poderá ser recuperado mais adiante, ainda conforme as informações da montadora.

Ainda não se sabe se o turno da manhã de quarta-feira (23) será mantido, o que vai depender os acontecimentos das próximas horas e de acordo com as recomendações das autoridades policias. Cerca de 2.500 pessoas trabalham na fábrica da Audi em Bruxelas, onde a segurança foi recentemente reforçada. Trata-se da linha de produção onde será feito o pequeno modelo elétrico e-tron Quattro , a partir de 2018, quando a montagem do A1 será redirecionada para Martorell (Espanha). Com isso, o crossover Q3 passará a ser feito na Hungria.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.