Conceito feito na Suíça pode rodar por 100 km sem recarregar e deve custar cerca de R$ 32 mil

Em 28 de agosto de 1955, o Diário de São Paulo publicava que as Indústrias Romi iriam produzir o pequeno Romi-Isetta no Brasil, o primeiro carro nacional. E foi o que fizeram, fabricando três mil unidades até 1961. Imagine só poder comprar um microcarro desses com motor elétrico. É a ideia da empresa suíça Micro Mobility Systems , com o protótipo Microlino .

Nós chamamos de carro, mas o Microlino é classificado na Europa como um quadriciclo motorizado, da mesma forma que o Renault  Twizy . Isso é importante, pois as leis mudaram desde a época do Isetta e ele nunca seria aprovado nos testes de colisão para poder andar nas ruas.

Na esquerda, o Isetta original, na direita sua reimaginação.
Divulgação
Na esquerda, o Isetta original, na direita sua reimaginação.

Como um citycar, o Microlino parece cumprir bem o que promete. Utiliza um pequeno motor de 15kW (20 cv) e velocidade máxima de 99 km/h. Pode rodar por cerca de 100 km sem reabastecer. Não parece muito, mas é um carro feito para andar apenas nas cidades. A produção começa no final de 2017 e vai custar entre US$ 9 mil e US$ 13,5 mil (de R$ 32 mil a R$ 48,9 mil). Desde a apresentação no Salão de Genebra (Suíça), a empresa já tem 500 carros encomendados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.