Executivo afirma que fábrica continuará fechada até que o mercado mostre sinais de recuperação

Fábrica da Honda em Sumaré (SP),  onde são produzidos os modelos Fit, City, Civic e HR-V
Divulgação
Fábrica da Honda em Sumaré (SP), onde são produzidos os modelos Fit, City, Civic e HR-V

A Honda  tem uma fábrica novinha em folha em Itirapina, no interior de São Paulo. Só que ela ainda não está em operação, por culpa da crise. Segundo o site Bloomberg , nem mesmo a empresa sabe quando o complexo começa a funcionar, pois esperam por um sinal de que a situação financeira do país irá melhorar.

Roberto Akiyama, vice-presidente da Honda na América do Sul, disse ao Bloomberg que a decisão foi tomada para “evitar contratar funcionários e depois encontrar problemas como potenciais layoffs”. É o que vem acontecendo com as outras fabricantes, como General Motors , Volkswagen  e Ford , que reduziram consideravelmente sua produção e tiveram que demitir empregados.

De acordo com o executivo, serão necessários pelo menos seis meses para contratar e capacitar os funcionários para iniciar a produção, o que automaticamente exclui o começo das operações para esse semestre. Se começassem a contratar em abril, a fábrica só poderia produzir a partir de outubro. Em Sumaré, a equipe trabalha com dois turnos e não ocorreram demissões, apenas cortes nas horas extras.

Nesse ano a realidade do mercado deve atingir a Honda . Enquanto em 2015 a marca teve um aumento de 11% nas vendas por causa do HR-V , as projeções da fabricante para este ano indicam que devem recuar 18%, para cerca de 125 mil veículos.

Fonte:  Bloomberg

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.