Com 346 km de autonomia, sedã elétrico custa o equivalente a R$ 125,8 mil. Entregas começam no fim de 2017

Quem não acompanha muito o mundo automotivo pode não conhecer Elon Musk e a marca Tesla . A melhor explicação é dizer que a fabricante é a Apple  dos automóveis, investindo pesado em tecnologia e design, tem um cara considerado visionário no comando e, aos poucos, está criando uma legião de seguidores. Por isso, a apresentação oficial do Tesla Model 3 chama tanto a atenção.

É o carro mais barato da marca, focada em modelos elétricos. Vai custar US$ 35 mil (aproximadamente R$ 125,8 mil), um valor dentro da média de preços dos híbridos nos EUA. Montado na forma de um sedã, o Model 3 tem uma autonomia de 346 km, vai de 0 a 100 km/h em menos de seis segundos e foi criado para obter nota máxima nos testes de segurança.

Os carros podem ser reabastecidos como qualquer outro elétrico e híbrido, com uma tomada. Porém, a Tesla possui uma tecnologia de Superchargers, capaz de carregar as baterias até 80% em 30 minutos. Atualmente, há 3.628 carregadores espalhados pelo mundo. Musk promete ampliar a quantidade de Superchargers para 7.200 unidades até o fim de 2017 e 15 mil postos comuns de carga.

Musk é um fã de automóveis e sua paixão passa para a marca. “Na Tesla , não produzimos carros lentos”, disse o executivo durante a apresentação. Outras marcas lançariam apenas uma versão, mas a Tesla promete variantes mais caras, com maior desempenho e autonomia. O sucesso é garantido. Seguidores da marca ficaram cinco dias nas filas em frente às lojas da marca nos EUA, para pagar US$ 1 mil (R$ 3,5 mil) de sinal e encomendar o Model 3 . A pré-venda alcançou a marca de 115 mil pedidos antes mesmo do sedã ser apresentado.

Em sua missão de acelerar a adoção da mobilidade sustentável, a Tesla irá expandir suas operações pelo mundo. A rede de lojas vai aumentar de 215 para 441, com a inclusão de novos países. Em um post no Twitter, Musk confirmou que o Model 3 será vendido para África do Sul, Coreia do Sul, Índia, Nova Zelândia e, a parte que nos interessa, Brasil! Os países que não contam com uma loja (como o nosso), terão um esquema especial de entrega. É possível fazer a encomenda pelo site , mas não estamos ainda no calendário oficial de entregas. Teria que esperar de qualquer forma, pois as entregas só começam no fim de 2017.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.