Equipamento de R$ 830 estende alcance da chave, permitindo abrir e ligar o carro a um quilômetro de distância

Carros com o sistema keyless utilizam ondas de rádio para se comunicar com o veículo, abrindo as portas e permitindo ligar o motor.
Divulgação
Carros com o sistema keyless utilizam ondas de rádio para se comunicar com o veículo, abrindo as portas e permitindo ligar o motor.

Quando falamos sobre tipos de chave para carros, é fácil pensar que os carros equipados com keyless são mais seguros. Afinal, na teoria, é mais difícil entrar em um veículo que abre eletronicamente e que não liga o motor se a chave não está presente. Porém, um estudo do Allgemeiner Deutscher Automobil-Club (ADAC) , o clube de automóveis da Alemanha, revela como é fácil enganar o sistema e roubar o carro.

O processo é assustadoramente simples. O bandido compra um equipamento que custa cerca de R$ 830. Com ele, é possível ampliar o alcance das ondas de rádio da chave, de alguns metros para quase um quilômetro. Para evitar que o motor desligue com o carro em movimento, a maioria dos veículos que usam o sistema keyless continua a funcionar mesmo se saírem do alcance da chave. Ou seja, o meliante consegue entrar, ligar o carro e ir embora sem nenhum trabalho.

O teste foi feito com 24 carros de 19 marcas diferentes, alguns são velhos conhecidos nossos como Ford  EcoSport , Honda  HR-V , Mitsubishi  Outlander e Toyota  RAV4 . O pior é que isso não é novidade. Um teste feito em 2011 por pesquisadores suíços já apontavam essa vulnerabilidade, mas nada foi feito a respeito.

Então, como podemos proteger os carros? Uma dica é guardar a chave em uma caixa de metal, atrapalhando a comunicação com o veículo. Porém, tem que ser alguns tipos específicos de metais, como cobre e alumínio. Outra solução é comprar uma bolsa que bloqueia os sinais da chave, vendida por cerca de U$ 30 (aproximadamente R$ 110). Ou, se a paranoia for mais forte e precisar de um método urgente, jogue a chave no freezer.

Fonte:  ADAC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.