Equipamento pode ser danificado por umidade. Marca estuda se a convocação afeta o Brasil

Honda fará o recall de 21 milhões de veículos no mundo todo para substituir os airbags da Takata.
Reprodução
Honda fará o recall de 21 milhões de veículos no mundo todo para substituir os airbags da Takata.

A Honda  confirmou que irá fazer um novo recall para substituir os airbags da empresa Takata, pelo risco de serem ativados com força demais, disparando peças de plástico contra os passageiros. O valor assusta: 21 milhões de veículos no mundo todo. E isso pode incluir o Brasil.

Uma investigação feita pela National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), agência norte-americana responsável pelo trânsito, descobriu que o problema do airbag está na falta de um material que absorve umidade. Sem ele, o componente químico que ativa a bolsa inflável pode se deteriorar e ativar sozinho, acima da força prevista.

Stephanie Erdman, uma das pessoas feridas pelo airbag da Takata. Um fragmento do equipamento instalado em seu Honda Civic atingiu seu olho.
reprodução/ABC
Stephanie Erdman, uma das pessoas feridas pelo airbag da Takata. Um fragmento do equipamento instalado em seu Honda Civic atingiu seu olho.

O airbag mortal foi protagonista de um recall que envolveu mais de 53 milhões de carros no mundo todo. No Brasil, foram 2 milhões. Com o resultado da investigação, o número pode aumentar. Nos EUA, já falam sobre mais 40 milhões de veículos, enquanto no Japão o governo prevê 20 milhões. E assim, um dos maiores escândalos da indústria automobilística  começa a tornar-se o maior. Isso vindo de uma empresa que, em seu site , diz que se dedica a proteger a vida humana.

A convocação da Honda é uma das maiores já feitas na história do automóvel por uma única marca, ao lado de um recall feito na década de 1980 pela Ford , para arrumar a transmissão automática, que podia trocar sozinha da posição de estacionamento para marcha ré. Considerando que os governos estão de olho, pode ser que outras fabricantes convoquem números ainda maiores.

Em nota, a Honda Automóveis afirma que está avaliando a situação das unidades produzidas e comercializadas no Brasil e comunicará tão logo tenha uma conclusão sobre o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.