Novo padrão começará a ser utilizado para veículos novos em 2017. Em seguida será a vez da frota atual

Novo padrão de placa de identificação para veículos. Na esquerda está a placa para automóveis, caminhões e ônibus. Na direita, para motocicletas.
Divulgação/Contran
Novo padrão de placa de identificação para veículos. Na esquerda está a placa para automóveis, caminhões e ônibus. Na direita, para motocicletas.

É oficial. O Brasil passará a adotar o novo padrão de placa de identificação para veículos a partir de 1º de janeiro de 2017. A resolução nº 590 do Contran foi publicada no Diário Oficial da União na última sexta-feira (28) e determina que todos os veículos novos venham com a nova placa a partir do início de 2017 e, até 31 de dezembro de 2020, toda a frota nacional deverão possuir a identificação no padrão Mercosul.

A mudança tem dois objetivos: facilitar a identificação da origem dos carros dentro do Mercosul e aumentar o número de combinações possíveis. A primeira a adotar o padrão foi a Argentina. O país estava a beira de um colapso, pois as combinações possíveis para as placas estão quase esgotadas – em 2014, tinham menos de 2 milhões de combinações.

Novas placas para automóveis válidas para todo o Mercosul.
Divulgação
Novas placas para automóveis válidas para todo o Mercosul.

A identificação será feita com duas letras, três números e mais duas letras. Esse formato permite mais de 450 milhões de combinações. Para motocicletas, o sistema é o mesmo, mudando apenas a ordem para uma letra, três números, três letras. Além disso, na parte superior da placa, há uma barra azul com o nome do país e sua bandeira, enquanto a identificação de cidade e estado ficará na lateral direita, inclusive com o brasão do estado.

Novo padrão de placas para motos para todo o Mercosul.
Divulgação
Novo padrão de placas para motos para todo o Mercosul.

Por aqui, teremos também uma tira holográfica do lado esquerdo e um código bidimensional com o nome do fabricante, data de fabricação do veículo e número serial da placa. O formato permite até 450 milhões de combinações, número muito superior a atual frota de 120 milhões de veículos nos cinco países do Mercosul.

Pelo cronograma do Contran, a mudança começa em janeiro de 2017, com veículos zero quilômetros a serem registrados, em processo de transferência (de município ou propriedade) ou quando for necessário substituir a placa. Em algum momento não determinado, os demais veículso terão que realizar a troca para que, até 31 de dezembro de 2020, toda a frota já esteja alinhada no novo padrão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.