Enquanto o governo não resolve o problema de enchente na sua cidade, evite que o alagamento estrague seu carro

Atravessar uma enchente não é tão simples. Basta uma troca de marcha para fazer o carro parar e ficar lá boiando na água.
Divulgação
Atravessar uma enchente não é tão simples. Basta uma troca de marcha para fazer o carro parar e ficar lá boiando na água.

Dependendo de onde você mora, basta uma chuvinha para começar a transformar as ruas em rios. Atravessar um alagamento pode ser muito perigoso tanto para o motorista quanto para o carro, causando danos e, nos piores casos, perda total. A melhor solução é a mais óbvia: se sabe que vem temporal, não dirija. No entanto, às vezes não dá para evitar, então confira nossas dicas para não ver seu veículo ir por água abaixo.

Se estiver fundo, nem mergulhe

Sempre terá alguém que vai tentar atravessar de qualquer forma. Antes que você faça o mesmo, pare pouco antes da poça e observe um carro passar. Se a água estiver passando da metade das rodas, não se arrisque . O risco da água entrar onde não deve é muito grande. Procure um lugar seguro, sem bueiros, e torça para que a enchente não piore.

Nadando devagarinho sem parar

Não tem para onde recuar, a chuva vai fazer a água subir mais, só que a enchente não está tão funda. Neste caso, pode passar pela poça. Primeiro, abra distância, deixando uma boa área livre entre o seu carro e qualquer outro veículo .

Engate uma marcha reduzida (a 1ª em carros manuais e L nos automáticos, se não puder escolher a marcha ou usar trocas manuais) e vá bem devagar, mantendo a aceleração em torno de 2.500 rpm . Isso é para manter o torque constante e com o máximo de aderência – outro motivo pelo qual é muito importante manter os pneus calibrados corretamente e em bom estado .

Nunca troque de marcha enquanto atravessa uma enchente ou pare de acelerar . Por mais que dê aquela vontade de ir mais rápido para ter certeza que está a salvo, isso vai te fazer parar e ficar preso. Desligue o ar-condicionado , porque parte da potência do motor vai para o sistema de refrigeração.

Ao parar de acelerar, surge um pequeno vácuo no coletor de escapamento, sugando a água para dentro do sistema, que vai parar nos pistões. Eles encontram mais resistência, o que empena as bielas. Na pior das hipóteses, pode trincar o bloco do motor com o choque térmico da água fria com o motor quente. Nesses casos, o motor dá perda total e o reparo vai sair muito caro, já que terá que comprar um propulsor novo.

Com calma e atenção

Não passe ao mesmo tempo que veículos pesados. Eles vão fazer ondas que podem ser fatais para o seu veículo.
Divulgação
Não passe ao mesmo tempo que veículos pesados. Eles vão fazer ondas que podem ser fatais para o seu veículo.

Como disse antes, deixe uma boa distância entre você e qualquer outro carro . Primeiro porque um deles pode parar no caminho, adicionando mais um obstáculo que pode te fazer parar também. Segundo porque, se for um veículo pesado como ônibus e caminhões, a força com que empurra a água pode formar marolas. Evite passar quando alguém vier na mão contrária.

Siga pela parte central da pista , por ser a mais alta e com menos possibilidade de ter bueiros (normalmente instalados próximos ao meio-fio). Mantenha a calma sempre, mesmo quando o carro se mexer de um jeito estranho. Com pé no acelerador de forma constante e mãos firmes no volante, em pouco tempo estará fora da enchente.

Apagou, não ligue de novo

Nunca ligue o carro se tiver parado na enchente. A água entrou no motor e tentar ligá-lo vai causar o chamado calço hidráulico, que pode destruir o motor.
Divulgação
Nunca ligue o carro se tiver parado na enchente. A água entrou no motor e tentar ligá-lo vai causar o chamado calço hidráulico, que pode destruir o motor.

Te expliquei logo acima o que acontece se entrar água no motor. Por isso, se o carro morrer no meio do caminho, nunca tente liga-lo novamente , pois é a pior coisa que pode fazer. Quando o motor desliga, a água entra pelo escapamento até a câmara de combustão. Se tentar ligar o motor, ao invés de entrar ar para a combustão, haverá água e os pistões tentarão comprimir o líquido, empenando as bielas.

Caso o carro morra, não faça nada com ele. Abra a janela e tente sair, caso a água não esteja tão funda. Seu veículo só poderá ser ligado novamente por um profissional qualificado, após fazer uma análise completa e tiver certeza de que não há mais água no motor.

Depois da tempestade, o freio

Na hora da enchente, você lembrou disso tudo e passou sem nenhum problema. Após a travessia, freie o veículo de leve algumas vezes , para retirar a umidade dos freios e secar o sistema. Sem isso, os freios podem te deixar na mão caso realmente precise, por ter sua aderência comprometida por estarem molhados.

Checkup depois de um mergulho

Sempre é bom verificar o carro depois de atravessar um alagamento, para ter certeza de que não entrou água ou sujeira onde não devia. Alguns itens você mesmo pode checar , outros é melhor deixar para um especialista.

O mesmo vale se seu automóvel estiver estacionado e foi pego por uma enchente. Nunca o ligue depois disso, é necessário verificar se está tudo bem. A água pode causar alguns transtornos, como alterações no sistema de injeção eletrônica (o que, com o tempo, pode virar um problema bem sério), contaminação do cânister, do óleo da transmissão e do tanque de combustível.

Outro problema recorrente é que lixo e outros resíduos da enchente se enrosquem nos catalisadores, amortecedores, mangueiras, molas e freios. A água também pode invadir um pouco da cabine, molhando os carpetes. Retire-os e deixe-os secar em um lugar bem arejado. Também é bom manter o carro aberto no sol por uns três dias, para ajudar a secar e tirar o odor. Bancos precisam de limpeza e secagem especial, com troca de revestimento se forem de tecido ou veludo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.