Checagem e manutenção do componente também contribui para a qualidade do ar e com os níveis de consumo aferidos pelas fabricantes

Catalisador deve ser trocado em torno dos 100 mil quilômetros rodados se o carro não teve grandes problemas no motor
Divulgação
Catalisador deve ser trocado em torno dos 100 mil quilômetros rodados se o carro não teve grandes problemas no motor

O catalisador é um dos itens que devem ser verificados durante o inverno, já que é essencial para manter os níveis de emissões de poluentes dentro dos níveis permitidos. A peça transforma até 98% dos gases tóxicos da queima do combustível em vapores inofensivos. Portanto,  está ligado diretamente à qualidade do ar do meio ambiente e com a saúde da população, principalmente nos grandes centros urbanos onde a concentração de carros é cada vez maior.

Como se sabe, durante a estação mais fria do ano, com baixa umidade do ar, a questão da poluição atmosférica favorece o aparecimento de doenças respiratórias e alergias. Conforme dados da OMS (Organizacão Mundial da Saúde), o ar poluído causa mais de 3 milhões de mortes prematuras por ano. Por isso, os motoristas podem dar sua parcela de contribuição para evitar esse tipo de problemas fazendo revisões periódicas no sistema de exaustão e usando peças genuínas, inclusive o próprio catalisador.

LEIA MAIS: Conheça 5 hatches flex mais econômicos do Brasil

Vale lembrar que a prática de retirar o catalisador do carro pode render multa, apreensão do veículo e aumenta o consumo de combustível. Além disso, ao contrário do que alguns acreditam, não melhora o desempenho do carro, a perda de carga no fluxo de gases de escape é compensada pelo mapeamento do módulo de controle do motor.

A troca do catalisador deve ser feita de algo em torno de 100 mil quilômetros rodados. Isso se o carro não apresentou problemas nos bicos injetores e na ignição, o que pode encurtar a vida útil do equipamento.  O custo da troca fica, em média, a partir de R$ 350, já que a peça vem com uma colméia cerâmica impregnada de metais nobres envolta por uma carcaça de aço inoxidável.

LEIA MAIS: Escândalo do diesel tem mais 15 marcas enviolvidas em fraude

Entre outros cuidados que se deve ter com o catalisador também estão incluídas práticas como obetecer os prazos de troca de filtros e óleo previstos no manual e prudência ao passar por lombadas – impactos na peça podem danificá-la. Por meio de um scanner para detectar falhas no motor é possível saber com precisão e rapidez se o catalisador precisa ser trocado ou não.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.