SUV deve começar a ser montado em Anápolis (GO), a partir de setembro, quando passará a substituir o antigo Tucson, de 2005

A Hyundai adota algumas mudanças no interior da nova geracão do SUV Tucson . Uma delas fica por conta da central multimídia atualizada, compatível com Apple Car Play e Android Auto. No caso da versão Limited, a tela sensível ao toque é de 8 polegadas, com GPS embutido.

Nas SE e Eco, o tamanho cai para 5 polegadas, mas mantém o GPS embutido, câmera de ré e o Bluetooth. Além disso, o sistema de som agora pode ser o Infinity, de 315 watt, mas apenas na versão Limited.

LEIA MAIS: Hyundai Santa Cruz, picapes com ares de SUV, não chega antes de 2020

Por fora, o novo Hyundai Tucson continua igual ao apresentado no início do ano passado, com linhas harmoniosas e modernas. O motor 1.6 turbo, com injeção direta de combustível, também não mudou. Pode funcionar com tração dianteira ou 4x4, como opcional.

LEIA MAIS: Veja cinco carros à venda há mais tempo no Brasil

Novo Tucson no Brasil 

A primeira geração do Tucson começou a ser importada da Coréia do Sul e, 2005 e, seis depois passou a ser montado na linha de produção em Anápolis (GO). Fez bastante sucesso. E hoje tem a relação custo-benefício como principal atrativo. Parte de R$ 69.900, com motor 2.0 flex de 147 cv e câmbio automático (de quatro marchas). Os únicos opcionais são central multimídia com camera de ré e GPS e bancos revestidos de couro. 

Mas Tucson original já ficou antiquado e precisa de um substituto. Embora a Hyundai CAOA não confirme, é dado como certa a produção da nova geracão do Tucson no Brasil a partir de setembro. Entretanto, o preço deverá saltar para algo em torno de R$ 130 mil.  Assim como em outros mercados, também poderá ter motor 1.6 turbo e injeção direta por aqui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.