Novidade poderá funcionar muito bem com os motores flex, que funciona com combustíveis de características bem diferentes

Motor de taxa de compressão variável da Infiniti
Divulgação
Motor de taxa de compressão variável da Infiniti

Um dos pontos que as fabricantes sempre costumam trabalhar nos motores em busca de mais eficiência é a taxa de compressão, que nada mais é do que quantas vezes a mistura ar-combustível (que ocupa todo o cilindro) precisa ser comprimida para caber na câmera de combustão. Mas, pelo menos até agora, essa taxa estática é fixa, limitada por itens como desenho do virabrequim e o volume da câmara de combustão. 

Mas a Infiniti, marca de modelos premium da Nissan , quer mudar isso com o motor com taxa de compressão variável, que será apresentado no próximo Salão de Paris (França), entre os dias 1 e 16 de outubro. Antes de entrar em detalhes sobre a novidade também é preciso saber que quanto maior for a taxa de compressão melhor rendimento um motor terá. Mas se não pode aumentar muito a taxa, senão pode ocorrer a chamada pré-ignição, também conhecida como “batida de pino”, pelas altas temperaturas que a mistura ar-combustível fica submetida.

LEIA MAIS: Nissan pratica atos de bruxaria com motor 1.5,  de três cilindros e 400 cavalos!

Pensando fora da caixa

Para tentar contornar isso, a engenharia automotiva adotou algumas soluções, como combustíveis com alta octanagem ou com anti-detonantes, como chumbo tetraetila ou etanol. Também usaram recursos para diminuir a temperatura da câmara de combustão e, recentemente , injeção direta de combustível em altíssima pressão. Mas com o emprego dos sistemas sobrealimentados, as temperaturas voltaram a subir novamente.

LEIA MAIS: Conheça em detalhes os 12 melhores motores que existem no mundo

Com o novo motor com taxa de compresso variável VC-T, a Infiniti quer mostrar uma nova solução. Por enquanto, o que se sabe é que a taxa pode variar de 8:1 até 14:1, conforme for necessário para alcançar o máximo de eficiência sem correr o risco de haver pré-ignição. Para isso, usam um braço atuador que desloca o conjunto formado por pistões e bielas para cima ou para baixo, alterando o volume da câmara de combustão, como pode ser visto na ilustração abaixo. 

Ilustração mostra o princípio básico do motor de taxa de compressão variável da Infiniti
Divulgação
Ilustração mostra o princípio básico do motor de taxa de compressão variável da Infiniti


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.