Duas unidades do táxi autônomo podem ser chamadas pelo celular. Lançamento está previsto para 2018

O táxi autônomo da nuTonomy estará disponível para todos em Cingapura em 2018. Até lá, começa a ser testado pelo público em uma pequena parte da cidade.
Divulgação/nuTonomy
O táxi autônomo da nuTonomy estará disponível para todos em Cingapura em 2018. Até lá, começa a ser testado pelo público em uma pequena parte da cidade.

O primeiro táxi totalmente autônomo já está rodando pelas ruas, ainda que em teste. A empresa nuTonomy iniciou a fase de testes públicos em Cingapura. Os participantes podem usar um aplicativo no celular para convocar o carro até um destino que fique dentro da área comercial da cidade. A empresa de tecnologia espera lançar o serviço em 2018, aproveitando a experiência para introduzir uma frota de 100 carros na cidade.

A fase de testes é feita com apenas duas unidades: um Mitsubishi iMiEV e um Renault Zoe , ambos veículos totalmente elétricos. Após chamar o carro pelo aplicativo no celular, o cliente senta no banco do passageiro e o táxi faz todo o trabalho. Um engenheiro fica sentado no banco do motorista, monitorando tudo para garantir que o sistema está em ordem e, em caso de emergência, pode operar o automóvel.

Tomando decisões

Os fundadores da empresa criaram uma série de algoritmos para gerenciar a frota, usando a experiência que tinham após criarem um código especial para os drones do exército norte-americano. A programação faz com que um táxi saiba onde e como operar de forma mais eficiente, evitando que todos acabem na mesma região. A estimativa é que uma frota de 300 mil veículos façam o trabalho de 780 mil táxis convencionais em Cingapura, com um tempo de espera abaixo de 15 minutos.

LEIA MAIS: Táxi! Lamborghini Huracán consegue licença inédita no Reino Unido

Sua programação também permitirá com que o táxi se mova com mais destreza. Com o uso de uma lista de prioridades, o veículo segue uma lógica que o permite tomar decisões e fazer manobras. Por exemplo, se encontrar um carro parado em fila dupla e detectar que não tem outro veículo vindo na via ao lado, ele irá ultrapassar. Isso não acontece ainda com outros sistemas autônomos, que iriam ficar parados esperando o carro da frente se mover.

Outra tecnologia do táxi autônomo é o rastreador laser da LiDAR, que a Ford também está utilizando nos seus testes para veículos em motoristas. Os sensores determinam a posição dos objetos em volta do carro e transforma em informação para o sistema, facilitando as decisões. O LiDAR consegue identificar tudo, desde um pequeno objeto na via até carros parados e as construções ao redor, entendendo o que pode se mover ou não.

Futuro sem motorista

Os carros autônomos estão na cabeça dos executivos das fabricantes. Mark Fields, chefão da Ford, revelou que a marca está investindo pesado para criar um veículo que dispense o motorista e coloca-lo nas ruas em 2021, afirmando que o carro autônomo será maior inovação da década para o mundo automotivo. Também começará entregando seus veículos para servir como táxi autônomo.

LEIA MAIS:  Rolls-Royce Ghost que virou táxi? Saiba o que houve

A Fiat-Chrysler inicou recentemente uma parceria com a Google, fornecendo 100 unidades da van Chrysler Pacifica para que a empresa teste sua tecnologia. Em compensação, a FCA terá acesso à tecnologia quando estiver pronta, para equipar os carros da Alfa Romeo , Jeep e Maserati . Empresas como General Motors e Mercedes-Benz estão investindo em empresas de compartilhamento de veículos, antecipando a demanda pelo táxi autônomo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.