Para fazer um bom negócio é preciso tomar uma série de cuidados. Acompanhe as principais dicas antes de assinar o cheque

Para fazer um bom negócio ao comprar um carro usado é preciso ter uma série de cuidados
Divulgação
Para fazer um bom negócio ao comprar um carro usado é preciso ter uma série de cuidados

Em tempos de crise econômica, as vendas de carros seminovos vão de vento em popa, ao contrário do que acontece com os novos, que já amargam queda de 23% nos oito primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2015, de acordo com o balanço da Fenabrave (Federacão dos Distribuidores de Veículos). Mas antes de fechar negócio é preciso tomar alguns cuidados para não cair em armadilhas.

Na lista abaixo você confere cinco golpes que podem ser aplicados para enganar quem compra um seminovo. Vale a pena dar uma olhada para escapar deles. Mas, de qualquer forma, uma regra básica para correr menos riscos é recorrer a lojas tradicionais no mercado, concessionárias autorizadas, ou a particulares conhecidos e de confiança.

1 – Lataria

Pintura deve estar sempre uniforme, no mesmo tom e sem ondulações
Divulgação
Pintura deve estar sempre uniforme, no mesmo tom e sem ondulações

 É bom tomar cuidado ao inspecionar a carroceria. Mesmo se o aspecto geral estiver bom, sem riscos ou arranhados, podem ter feito remendos com uso de massa plástica. Portanto, observe se existe alguma mudança de tonalidade, ou ondulações. Há quem use um imã embrulhado em uma flanela para detetar esses reparos enganosos.

 Também desconfie de lanternas em estado de conservação diferentes uma das outras, bem como de faróis desalinhados, com parafusos soltos, ou ainda portas e tampas que não fecham direito. São sinais de o carro pode ter passado por uma colisão.

2 – Documentação

Documentação deve estar em ordem para evitar problemas na hora da compra do seminovo
Reprodução
Documentação deve estar em ordem para evitar problemas na hora da compra do seminovo

 Tenha certeza de que o carro que você está interessado em comprar está com a documentação em ordem. Há casos em que chegam a vender veículos ainda alienados, que não foram totalmente pagos. O certo é que o documento esteja no nome do atual dono e não tenha nenhum tipo de restrição.

Verifique também se o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor) foi devidamente pago, assim como o Seguro Obrigatório, assim com o Licenciamento.  E mesmo que o carro esteja sendo comprado de alguém de confiança, de loja tradicional ou de concessionária, vale ter também um documento que comprove que as multas anteriores à data da compra são de responsabilidade do antigo proprietário.

3 – Excesso de limpeza

Motor precisa estar sempre bem lubrificado e na temperatura ideal de funcionamento
Divulgação
Motor precisa estar sempre bem lubrificado e na temperatura ideal de funcionamento

 Desconfie se o carro estiver extremamente limpo, o que inclui partes que costumam estar sujas e podem mostrar vazamentos, como motor e a parte de baixo do veículo.

Há casos em que fazem uma lavagem completa e minuciosa para esconder problemas, como junta de cabeçote que deixa vazar óleo, o que pode ser um indício de que houve superaquecimento e a parte de cima do motor precisaria ser retificada.

Se a parte de baixo do carro também estiver brilhando, sem nenhum grão de sujeira, pode ser que estejam querendo ocultar vazamentos nos amortecedores, juntas, retentores, entre outras partes.

4 – Hodômetro adulterado

Às vezes, a quilometragem indicada não corresponde ao estado geral do carro. É bom ficar de olho
Reprodução
Às vezes, a quilometragem indicada não corresponde ao estado geral do carro. É bom ficar de olho


É crime vender carro usado com hodômetro adulterado. Mas isso ainda pode acontecer, mesmo nos modelos digitais. Por isso, desconfie se a quilometragem não estiver condizente com o estado geral do carro, começando pelos pneus. Se estiverem muito gastos ou forem de marcas diferentes no eixo dianteiro e traseiro, pode ser sinal de que o carro rodou consideravelmente. 

Bancos, volante, pedais e avalanca de câmbio com sinais claros de desgaste também indicam quilometragem avançada, assim como lentes e faróis opacas. Também desconfie se o quadro de instrumentos não estiver bem encaixado no painel, ou se tiver com a proteção trasparente muito riscada.

5 – Chassi

Numeração de chassi não pode estar adulterada. Costuma estar gravada em mais de um ponto no veículo
Reprodução
Numeração de chassi não pode estar adulterada. Costuma estar gravada em mais de um ponto no veículo

Não é de hoje que a adulteração de chassi é um problema. Tanto que, há tempos, as seguradoras passaram a gravar o número de chassi nos vidros dos carros para evitar fraudes. E desde 1 de janeiro de 1999 é obrigatório todo carro ter esse recurso para ser licenciado. Além dos vidros, a numeração deve estar gravada em várias parte do carro, sempre sem nenhum indício de que houve adulteração.

Vale também conferir se os números batem com os que constam no documento do veículo.  E, se houver alguma dúvida, você pode contratar os serviços especializados em vistoria de carros usados que emitem um laudo para evitar problemas. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.