São modelos que deixam a desejar em alguns aspectos, além do fraco desempenho. Confira a lista e um pouco sobre cada um deles

Os carros equipados com motor 1.0 perderam espaço no mercado nos últimos anos, mas voltaram à tona com a chega dos eficientes motores de três cilindros. Porém, antes disso, foram fabricados alguns modelos de baixa cilindrada não conseguem atingir um nível de eficiência razoável, não apenas por causa da questão do consumo, mas também  por outros fatores como desempenho, nível de ruído, estabilidade nas curvas, segurança, entre outros.

LEIA MAIS: Conheça 5 seminovos com até três anos de uso para você fugir nas lojas

Sempre considerando modelos com até três anos de uso, selecionamos 5 seminovos 1.0 que devem ser evitados por ficarem atrás dos rivais em uma série de quesitos, entre os quais os que foram citamos acima. Confira abaixo quais são e saiba um pouco sobre cada um deles.

1 - Chery QQ 1.0 (2014) – R$ 20 mil

Chery QQ
Divulgação
Chery QQ

 A primeira geração do Chery QQ chegou ao Brasil chamando atenção pelo preço baixo. Por causa disso, o carro chegou a ter um volume razoável de vendas quando ainda era uma novidade. Mas seus níveis de segurança, desempenho, espaço, acabamento, entre vários outros, estão longe de chegar no que pode ser considerado aceitável, mesmo depois de ter ganhado motor 1.0, de três cilindros, em julho de 2014. Antes disso, vinha com um 1.1 que rendia quase o mesmo.

LEIA MAIS: Veja 5 modelos seminovos para ficarem mais de três anos na sua garagem

Com a parte estrutural bastante questionável, o carro oferece pouca estabilidade nas curvas, chegando a ser perigoso. Além disso, foi categoricamente reprovado em todos os testes de colisão pelos quais passou. E vai decepcionar pela falta de fôlego, acabamento ruim, pouco espaço interno e alto nível de ruído. Consegue fazer 11,8 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada, só com gasolina, segundo os números de fábrica.

 2 – Fiat Siena EL 1.0 (2014) – R$ 28 mil

O Fiat Siena EL era a primeira geração do sedã, ainda vendida no Brasil como uma opção de entrada, da mesma forma que o Palio Fire.
Divulgação/Fiat
O Fiat Siena EL era a primeira geração do sedã, ainda vendida no Brasil como uma opção de entrada, da mesma forma que o Palio Fire.

 Dizem que o sedã compacto da Fiat tem lá seu charme. Se comparado alguns concorrentes acaba mesmo se destacando pelas linhas mais harmoniosas que a maioria. O porta-malas espaçoso também é um ponto positivo do carro. Mas seus principais atributos param por aí.

 Além do motor Fire 1.0 não ter força suficiente para garantir agilidade plausível para ultrapassagens seguras, a suspensão permite que a carroceria incline mais do que o ideal nas curvas, o que acaba prejudicando a estabilidade. A qualidade de acabamento também é outro ponto crítico do carro. Com apenas gasolina no tanque, faz 11,5 km/l na cidade e 14,1 km/l na estrada, pelo o que diz a fabricante.

Chevrolet Celta 1.0 (2014/15) - R$ 21.900

Chevrolet Celta
Divulgação
Chevrolet Celta

 De tão simples em vários aspectos, o Celta não recebeu a gravata dourada da Chevrolet na Argentina, onde foi vendido até 2011 como Suzuki Fun. É outro hatch que tem pouco espaço, acabamento sofrível e alto nível de ruído. Falta de fôlego e um câmbio com longo curso da alavanca também são outros dois pontos que atrapalham o “prontuário” do modelo.

LEIA MAIS:  Saiba quais são os 5 seminovos menos seguros em caso de acidente

 No Brasil, saiu de linha em 2015. Por enquanto, está sendo substituído pelo Onix Joy 1.0 com uma série de vantagens, como motor eficiente, câmbio de seis marchas, direção com assistência elétrica, mais espaço e muito mais conforto proporcionado pela estrutura bem mais rígida, pelo melhor isolamento acústico e pela suspensão que absorve melhor as irregularidades do piso sem deixar a estabilidade de lado. Conforme dados da fabricante, apenas com gasolina, faz 10,7 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada.

4 – Renault Logan 1.0 (2014/15) – R$ 29.900

Renault Logan
Divulgação
Renault Logan

 Na linha 2017, acaba de receber novos motores SCe, bem mais eficientes que o 1.0 que equipou o sedã  anteriormente, que sofre bastante com a questão da falta de força em baixa rotação, entre outros males. Um deles é o alto nível de ruído. Outro fica por conta da alavanca de câmbio que não para no lugar ao acelerar, o que mostra problemas de trambulação.

 Há que se reconhecer que o porta-malas do Logan é bem espaçoso e que o carro mostra boa robustez ao enfrentar o piso mal conservado da maioria das vias que temos no Brasil. Porém, um outro ponto que não agrada no carro é a questão da ergonomia, com alguns comandos mal localizados, como os botões dos vidros traseiros no console central e dos retrovisores, no lado esquerdo do painel. Faz 10,5 km/l na cidade e 13 km/l na estrada, de acordo com a fabricante.

5 – Nissan March 1.0 (2013/14) – R$ 28 mil

Nissan March
Divulgação
Nissan March

 A primeira leva do compacto que chegou às lojas no Brasil vinha com o mesmo motor 1.0, de quatro cilindros da Renault. Como se trata de um carro bem leve (925 kg), isso acabou tornando o pequeno hatch da marca japonesa mais ágil que não apenas que Logan e Sandero , mas também que o Clio . Mas afora o desempenho aceitável, o carrinho deixa a desejar pelo excesso de plástico duro no acabamento, pelo isolamento ruim e falta de espaço.

Outro problema do March é o tanque bem pequeno, de apenas 41 litros, que prejudica a autonomia. E faltam alguns itens, como chave canivete e bancos mais confortáveis e que ajudem a segurar menor o corpo nas curvas. Pelos números da fabricante, o March 1.0 2013 faz 12,3 km/l na cidade e 14,5 km/l na estrada, com apenas gasolina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.