Em sua terceira geração, Kia Picanto terá versão esportiva com 1.0 turbo, além de modelos 1.0 e 1.2.

Pela primeira vez, o novo Kia Picanto terá motor 1.0 turbo, para concorrer com o Volkswagen Up! 1.0 TSI na Europa.
Divulgação/Kia
Pela primeira vez, o novo Kia Picanto terá motor 1.0 turbo, para concorrer com o Volkswagen Up! 1.0 TSI na Europa.

A estreia oficial da nova geração do Kia Picanto está marcada para o Salão de Genebra  (Suíça), no mês de março. Até lá, a marca coreana vem soltando informações e fotos do subcompacto. Desta vez, revelaram que o pequeno hatch terá uma versão chamada City GT Line, equipada com o motor 1.0 turbo de 110 cv e 17,5 kgfm – é a primeira vez que o Picanto terá essa motorização.

LEIA MAIS: Novo Kia Rio, "irmão do HB20", começa a ser feito no México

Trata-se do 1.0 T-GDi Kappa, com três cilindros. Foi utilizado no ano passado no hatchback pro_cee’d, vendido na Europa e confirmado para a nova geração do Rio, que chegou às lojas no resto do mundo em janeiro. Agora será a vez do Kia Picanto usar a mesma motorização, para brigar com o Volkswagen Up! com motor 1.0 TSI, lançado no Velho Continente junto com a reestilização do city car.

Em sua terceira geração, o Picanto adota um design mais agressivo, principalmente na versão GT Line, criado em parceria dos estúdios de design em Namyang (Coreia do Sul) e Frankfurt (Alemanha). Ganha uma entrada de ar no para-choque bem parecida com a grade usada no Soul. Na configuração esportiva, os faróis de neblina passam para dentro da grade do para-choque, para que sua posição anterior vire entradas de ar.

LEIA MAIS: Kia Cerato renovado vira mexicano e chega por R$ 76.990

Mudou menos no interior. As linhas gerais do hatchback foram mantidas, com um foco maior em acabamento e qualidade dos materiais usados. As mudanças no design foram as saídas de ar dos cantos do painel na vertical e os controles do ar-condicionado posicionados mais abaixo. Virá bem mais equipado, com seis airbags (frontais, laterais e de cortina) e controle eletrônico de estabilidade e tração de série em todas as versões. A central multimídia com tela de 7” conta com espelhamento de celular e navegador com imagem 3D.

1.0 turbo

Na mecânica, a principal novidade é o já mencionado motor 1.0 T-GDi Kappa. Com três cilindros e injeção direta, gera 100 cv e 17,5 kgfm de torque e será combinado apenas ao câmbio manual de cinco marchas. É menos potente do que a configuração usada no Rio, que conta com 120 cv e, ao contrário do subcompacto, pode trabalhar com o câmbio automático de seis marchas.

LEIA MAIS: Kia Stinger é o primeiro esportivo da marca coreana

Nas versões mais baratas, o Kia Picanto conta com o 1.0 três-cilindros aspirado, de 66 cv, e o 1.2 de 84 cv. Todos os motores contam com start-stop. A transmissão é a manual de cinco marchas, com a automático de quatro velocidades como opcional para o modelo 1.2. Ainda não tem data de estreia no Brasil, mas não deve demorar muito, já que o Picanto é produzido exclusivamente na fábrica em Seosan (Coreia do Sul). Com o período de homologação, espere para 2018.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.