Esportivo que estará no Salão de Genebra (Suíça), entre 9 e 19 de março, relembra o clássico que inspirou o Willys Interlagos

Alpine A110
Divulgação
Alpine A110

Uma das novidades do Salão de Genebra (Suíça), que abrirá suas portas para o público entre os dias 9 e 19 de março, será a nova geração do esportivo Alpine A110, cuja versão original, dos anos 60, serviu de inspiração para o Willys Interlagos, clássico nacional que ficou marcado pelo sucesso nas pistas, numa época de ouro do automobilismo brasileiro.

LEIA MAIS:  Participamos de um Rali de Regularidade ao volante de um raro Ford Corcel Bino 

 Tido como rival de modelos como Alfa Romeo 4C e Porsche 718 Cayman, o novo Alpine A110 vem com praticamente o mesmo visual do protótipo Vision Concept que foi mostrado no ano passado. Seguindo a mesma receita do clássico, o novo esportivo é leve e compacto para garantir boa agilidade em qualquer situação. Isso foi conseguido com ajuda da nova estutura de alumínio, material também usado nos bancos do tipo “concha”, parecidos com os dos carros de corrida atuais.

Ainda não há detalhes sobre o conjunto mecânico do novo A110, mas é dado como certo que o motor é 1.8, turbo, capaz de render cerca de 250 cv, potência transmitida para as rodas traseiras e suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em cerca de 4,5 segundos, tempo conseguido com ajuda do câmbio de dupla embreagem.  Estima-se que o novo Alpine A110 comece a chegar às lojas na Europa apenas no fim do ano por um preço parecido com o dos principais rivais. 

LEIA MAIS:  Eis uma prova de que os carros antigos estão em alta. Saiba mais detalhes

O lendário Willys Interlagos

Willys Interlagos 1961
Divulgação
Willys Interlagos 1961

 Baseado no Renault 4CV, que ficou polularmente conhecido no Brasil como “Rabo Quente” pelo motor na traseira, o Willys Interlagos é uma versão nacionalizada do Alpine A108, que depois virou Alpine A110 com alguns detalhes. Mas ao contrário da versão europeia, que vinha com motor 1.6, de 125 cv, o brasileiro tinha que se contentar com o 1.0, com dupla carburação, que não passava dos 70 cv. Por isso, o desempenho ficou um tanto modesto, com aceleracão de 0 a 100 km/h em longos 14,1 segundos e máxima de 160 km/h.

LEIA MAIS: Justiça seja feita ao criador do roadster AC Ace, irmão gêmeo do Shelby Cobra

O trunfo do Interlagos era ser leve (o que foi conseguido, em parte, pela carroceria de fibra de vidro) e ter tração traseira, o que rendia boa diversão ao volante. Além disso, o desenho era bem arrojado para a época em que foi apresentado, em 1961. Teve apenas 822 unidades fabricadas até 1964.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.