Segunda geração do Duster estreia em setembro, mas apenas para cinco ocupantes. Saiba mais detalhes sobre a nova geração do utilitário esportivo

Apesar de ser uma nova geração, o Renault Duster deve mudar pouco, com uma atualização da plataforma
Divulgação
Apesar de ser uma nova geração, o Renault Duster deve mudar pouco, com uma atualização da plataforma

Apesar de todos os rumores do setor automotivo falarem o contrário, a nova geração do Renault Duster não terá uma versão de sete lugares. Quem confirma é François Mariotte, diretor comercial da Dacia, o braço romeno da marca francesa, que é responsável pelo desenvolvimento do utilitário esportivo. O novo Duster será apresentado pela primeira vez em setembro, durante o Salão de Frankfurt (Alemanha).

LEIA MAIS: Renault Duster ganhará câmbio automático CVT no segundo semestre

Em entrevista ao site britânico AutoExpress, Mariotte disse que a prioridade da Dacia para o novo Duster é manter todas as qualidades do atual, principalmente a capacidade 4x4 – o modelo é muito procurado na Europa oriental e Ásia por isso. “Quando se quer transformar um carro de cinco lugares em um de sete, não tem jeito – você perderá o tamanho compacto e as capacidades 4x4 do carro”, explica o executivo.

Outro motivo, não comentado pela marca, envolve os custos. O novo Duster utilizará a plataforma M0, uma versão atualizada da atual B0, ajudando a manter o custo de desenvolvimento em um nível aceitável. Tudo isso para que continue a ser oferecido na Ásia e Europa como um dos SUVs compactos mais em conta do mercado, até mesmo na versão 4x4.

LEIA MAIS: Renault Duster Dakar II chega a partir de R$ 74.090. Saiba detalhes

Flagras do SUV compacto em testes mostram que não mudar tanto em comparação com o atual, até mesmo no design. Deve manter o aspecto mais quadrado e até a grade é bem parecida com a do Duster atual. A única mudança aparente está nos faróis, com novo desenho interno. Continuará abusando do plástico no acabamento por fora, sobre as caixas de roda e nos defletores de ar laterais.

Mesmos motores

A nova geração do Duster contará com o 1.6, aspirado, de 110 cv, com gasolina, além do 1.2 turbo, de 126 cv. Como de praxe, haverá uma opção a diesel para a Europa, na forma do 1.5 dCi e de 111 cv. Existe a chance de adotar o novo 1.6, que está em desenvolvimento pela Renault para outro SUV, o Kadjar. Para o Brasil, uma possibilidade é aposentar o 2.0 e equipá-lo com o futuro 1.3 turbo.

LEIA MAIS:  Renault Duster ganha novo motor 1.6 SCe e fica um pouco mais refinado

A estreia oficial do novo Renault Duster, na versão Dacia, acontecerá em setembro, no Salão de Frankfurt (Alemanha). Deve começar a ser vendido na Europa apenas no começo de 2018. Para a versão da Renault, o calendário é mais complicado. Deve ser revelado apenas na metade de 2018, se considerar o tempo de adaptação visto em outros modelos, como a reestilização de Logan, Sandero e até do próprio SUV . A estreia no Brasil deve ficar para o final de 2018, na melhor das hipóteses.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.