Modelo receberá mudanças visuais e novos equipamentos, o que inclui a nova central multimídia Sync 3. Parte mecânica continuará sem mudanças

 Ford Fiesta renovado roda em fase final de testes. Mudanças serão discretas e não vão incluir a parte mecânica
Reprodução/Facebook
Ford Fiesta renovado roda em fase final de testes. Mudanças serão discretas e não vão incluir a parte mecânica

Algumas unidades camufladas da versão renovada do Ford Fiesta são flagradas em fase final de testes, ainda com camuflagem. O carro receberá apenas retoques no desenho e a nova central multimídia Sync 3 para ganhar apelo na briga contra os novos rivais do segmento de hatches compactos premium, que vem crescendo ultimamente com a chegada de Fiat Argo, VW Polo e que também terá o Toyota Yaris. Não será dessa vez que o Fiesta vai receber o novo motor 1.5, de três cilindros.

LEIA MAIS: Fiat Argo trava briga acirrada com Chevrolet Onix. Confira

E os motivos são simples:  o Ford Fiesta precisa mudar com urgência, pois o modelo está perdendo espaço para o Fiat Argo. E para dificultar ainda mais a situação, o VW Polo também está prestes a chegar. Por isso, há muita pressa pela mudança no visual do hatch compacto, mesmo que precise manter a mecânica atual.

Dessa forma, o Fiesta irá se diferenciar pelo visual e equipamentos. Terá o sistema multimídia Sync 3, com tela de 6,5 polegadas sensível ao toque nas versões mais em conta e de 8 polegadas no topo de linha Titanium. Alguns itens devem aparecer nas configurações mais simples. Atualmente, o Fiesta tem controle eletrônico de estabilidade e tração a partir da versão SE Plus. A configuração Titanium Plus oferece sete airbags. Ambos são equipamentos que podem virar itens de série com a renovação.

A reestilização será bem discreta, com as principais mudanças concentradas nos faróis e na grade. A entrada de ar terá formato um pouco diferente do modelo atual, mais fina do que a atual. E ao contrário do que a Ford fez na Europa, o modelo nacional deve manter as luzes de neblina redondas. Na traseira, se a marca resolver mudar algo, será apenas a disposição do jogo de luzes nas lanternas, pois o formato será o mesmo – a nova geração tem lanternas na horizontal .

LEIA MAIS: Novo Polo: como anda o hatch com motor 1.0 turbo?

Sem o novo 1.5 e o câmbio automático, o Fiesta seguirá sendo oferecido com o motor 1.6 Sigma TiVCT, de 128 cv e 16 kgfm de torque a 5.000 rpm, que pode funcionar com câmbio manual, de cinco marchas, ou automatizado, de dupla embreagem Powershift, de seis. Os modelos mais caros trocam o 1.6 pelo 1.0 EcoBoost, de 125 cv e 17,3 kgfm a 1.400 rpm. Ou, pelo menos, até a Ford começar produzir o novo 1.5 no Brasil.

Vida difícil

Toyota Yaris
Divulgação
Toyota Yaris

Os hatches premium estão voltando a aparecer como opções bem equipadas. O primeiro semestre de 2017 foi marcado pela apresentação do Fiat Argo, novo compacto premium da marca italiana que pode chegar aos R$ 77 mil em sua versão mais equipada. Em seguida, o grupo Peugeot-Citroën atualizou os compactos 208 e C3 com a nova caixa automática de seis marchas, atingindo os R$ 75 mil e R$ 65 mil, respectivamente.

LEIA MAIS: Toyota confirma produção do Yaris no Brasil

O VW Polo já está em pré-venda, e começa a aparecer nas concessionárias em setembro. Com um pacote tecnológico digno de carros mais caros, o modelo pode custar até R$ 75 mil. No ano que vem, tanto o Ford Fiesta quanto os outros hatches mencionados anteriormente terão que competir com o novo Toyota Yaris. A marca japonesa já confirmou que o modelo será produzido no Brasil, em Sorocaba (SP), em versões hatch e sedã, como fruto do investimento de R$ 1 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.