Nova geração do modelo mostra um conjunto bem acertado, acabamento primoroso e alto nível de sofisticação

Volvo XC60 R-Design
Caue Lira/iG
Volvo XC60 R-Design

Se você acompanha mesmo que de longe as tendências do design de interiores e decoração, certamente já ouviu falar do estilo escandinavo. Para quem não se liga na nova moda que vem dominando a internet, trata-se de um arranjo que prioriza simplicidade e conforto. A combinação perfeita entre aconchego e as formas mais contemporâneas de expressão, com vasto uso de linhas retas e proposta minimalista.

LEIA MAIS: Audi Q3 1.4 Ambition: como anda o SUV premium mais vendido do Brasil

Para os entusiastas do estilo escandinavo, o que enche os olhos é justamente a despretensão. Pois bem, é assim que me sinto a bordo do novo Volvo XC60 R-Design... Ele está em dia com as últimas tendências, mas também não liga muito para isso. É como se o SUV sueco percorresse a linha tênue entre o ostensivo e a naturalidade para fazer você, que tem o suficiente para desembolsar R$ 269.950, ficar na dúvida entre ele e o Audi Q5.

O XC60 continua arrojado, e está a cara do irmão maior, o XC90. Na versão R-Design, o SUV ainda vem calçado com belas rodas aro 21 com acabamento que lembra aço escovado. A suspensão tem ajuste esportivo, um pouco mais rígido em relação aos modelos Inscription e Momentum. A linguagem global da Volvo também se faz presente, com luzes de LED no formato do martelo de Thor e caráter robusto. Suas linhas não são musculosas para dar a impressão de que o XC60 é mais encorpado. Lembre-se, o que vale aqui é a despretensão.

Não me lembro de ter sido abraçado por bancos tão confortáveis quanto os do XC60 nos últimos SUVs premium em que estive. Nem no rival das quatro argolas, o Q5. Os ajustes de altura, proximidade, inclinação e lombar são elétricos, com dois slots de memória disponíveis. Muito bem acomodado no banco feito de couro e nobuck - um tipo de camurça mais opaca e suave - pude apreciar o SUV ajeitado e elegante, com boa variedade nos materiais e até apliques metálicos. Os suecos foram milimétricos no acabamento: tem até revestimento emborrachado na zona de contato das aletas de troca de marcha.

Quem vai sentado no banco de trás vai perceber que o modelo ganhou 7 cm de entre- eixos em relação ao anterior, que já era espaçoso. Mas para viajar com conforto, apenas quatro ocupantes. Culpa do túnel central, que atrapalha quem vai sentado no meio. O porta-malas é raso e tem apenas 495 litros de capacidade. No Audi Q5, esse número salta para 550 litros.

O que chama a atenção no habitáculo é a grande central multimídia Sensus com tela de nove polegadas. O motorista sequer precisa tocar no aparato, pois o XC60 traz comando infravermelho integrado. Simples, intuitiva e com belos grafismos, é como usar um bom tablet. Você ainda poderá conectar o seu smartphone por meio do Android Auto e Apple CarPlay. O sistema do Google é capaz de reproduzir informações do app de navegação Waze. Mas usuários da Apple não ficam desamparados, pois a navegabilidade do aplicativo da própria Volvo é de tirar o chapéu. Ainda em relação ao modelo da Audi, o sistema dos escandinavos é mais interessante e fácil de usar.

LEIA MAIS: Toyota Corolla Altis mostra que é exemplo a ser seguido pelos rivais

O XC60 dispensa o tedioso botão de partida. A ignição é por um comando giratório que fica no console, próximo ao freio eletrônico. Uma saudação surge no belo cluster digital de doze polegadas. Com uma boa área envidraçada, câmera de ré e sensores de estacionamento, parece que o Volvo XC60 foi feito na medida certa. Mantê-lo nas estreitas faixas de São Paulo passa longe de ser um pesadelo, como acontece no grande XC90. A condução é sutil, e o motor 2.0, de 254 cv de potência e 35,7 kgfm de torque tem coragem de sobra para responder aos comandos do motorista. Os 6,8 segundos que o carro leva para chegar aos 100 km/h quando a sola do meu tênis esmaga o pedal de acelerador revelam sua força. Toda a carga é comandada e distribuída por um bom câmbio automático de oito marchas. O acerto de suspensão, que é mais rígido na versão R-Design, também é um dos destaques, mas poderia absorver um pouco mais das irregularidades do piso, o que contribuiria com o conforto.

Barco viking

De fato, existem diversas babás eletrônicas que vão ajudar nos momentos difíceis. O chamado City Safety atua com auxílios de condução e frenagens automáticas para evitar colisões. Com este que vos escreve, o dispositivo se manifestou apenas uma vez, freando repentinamente quando outro motorista me cortou - um alerta sonoro ajuda a entender o que está acontecendo . Isso ocorre por conta dos sensores para piloto automático adaptativo, com auxílio semi-autônomo.

Com controle de cruzeiro, e o assistente de pilotagem, o XC60 entra para o seleto grupo dos poucos veículos semi-autônomos que você pode comprar no Brasil.  Com ajuda da leitura de diversos dispositivos, como sensores de aproximação, o modelo é capaz de andar sozinho em vias expressas. Se um carro mais lento entrar na sua frente, o carro reduzirá a velocidade, retomando-a com o caminho livre. Mas lembre-se, utilizar celular ao volante continua sendo proibido.

LEIA MAIS: Jeep Compass Limited Diesel, o aventureiro de verdade

Trocando em miúdos, o Volvo XC60 se mostra mais urbano e mais esperto que o Audi Q5. Nessa batalha entre o povo do norte e os germânicos, ele acaba compensando a falta de porta-malas e espaço para o quinto ocupante em um conjunto bem resolvido. Há a possibilidade do modelo receber motorização a diesel em 2018, mas só depois da próxima investida da Volvo no Brasil: o compacto XC40, que chega no primeiro trimestre do ano que vem.

Volvo XC60 R-Design

Preço: R$ 269.950

Motor:  2.0, gasolina, injeção direta

Potência:  254 cv 

Torque:  35,7 kgfm

Transmissão: automática, oito velocidades, integral

Suspensão: McPherson (dianteira) / Multibraço (traseira)

Freios:  discos ventilados nas quatro rodas

Pneus: 235/60 R21

Dimensões: 4,6 m (comprimento) / 1,9 m (largura) / 1,65 m (altura), 2,8 m (entre-eixos)

Tanque: 70 litros

Porta-malas: 495 litros

Consumo:10,9 km/l (cidade) / 8,2 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 6,8 segundos

Velocidade máxima: 220 km/h  


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.