Moto do tipo custom, rival da Harley-Davidson, honra a tradição de estradeira para ser pilotada sem muita pressa

Indian é rival da Harley-Davidson no segmento de motos do tipo custom, para serem pilotadas sem muita pressa
Divulgação
Indian é rival da Harley-Davidson no segmento de motos do tipo custom, para serem pilotadas sem muita pressa

Vamos falar de custom. Esse é o nome adotado para as motocicletas baixas, longas e de espírito “bonachão”. Feitas para serem pilotadas de forma relaxada, curtindo o vento e a paisagem, as custom mantém a tradição das primeiras motocicletas norte-americanas, que marcaram sua época primeiramente com a Indian, em 1897, e depois com a sua grande rival, a também norte-americana Harley-Davidson, em 1903. 

Para os mais jovens, a marca Indian pode não ser muito conhecida, uma vez que sua história tem um longo período sem produção, até que a Polaris , que produz também a enorme Victory , adquirisse a marca centenária e voltasse ao mercado com a Indian.

LEIA MAIS: Harley-Davidson faz recall da Dyna Low Rider por risco do motor desligar sozinho

O modelo mais acessível da gama Indian aqui no Brasil é a Scout , custom com motor V2 de 1.133 cm3 de cilindrada e cerca de 100 cv de potência. As linhas gerais são tradicionais, motocicleta longa e baixa, mas os detalhes são bastante “tecnológicos”, com vincos nos para-lamas e no tanque e acabamento reto e polido nos cilindros do motor, que é refrigerado a água.

Há quem conteste esses detalhes, que “destoa” de um modelo clássico, mas o resultado visual é muito bom. Bom também é o resultado dinâmico. Geralmente as custom são pesadonas e pouco maneáveis, o que não acontece acentuadamente na Indian Scout.

LEIA MAIS: Ducati oferece modelo Scrambler Icon a partir de R$ 36.900

Pilotando curtindo o vento e a paisagem

Apesar de ter um ângulo de esterço pequeno – a Scout precisa de muito espaço para virar –, ela é equilibrada e até que conta com uma boa dose de estabilidade em curvas. Apenas se deve lembrar sempre que, por ser bastante baixa, em curvas mais acentuadas as pedaleiras podem raspar no asfalto. O motor acelera forte e permite boa aceleração, porém o melhor é o torque em baixas rotações, que torna a pilotagem mais suave, com retomada de velocidade quase impressionante.

A Indian Scout é uma motocicleta individual. Ou seja, não tem nem banco nem pedaleiras para o garupa, que, se quiser pegar uma carona, deverá convencer o seu dono a investir em um banquinho e um par de pedaleiras.  

O painel de instrumentos é bastante simplificado, com apenas um relógio com velocímetro analógico e um display de LCD no meio. A leitura é boa apenas durante o dia, à noite, mesmo com a iluminação ligada, não se vê claramente a velocidade e quase que totalmente as indicações do painel de LCD. Por sinal, o conta-giros é de pequenos algarismos digitais, impossível saber a rotação instantânea do motor.

A Indian Scout custa R$ 49.990, com um acréscimo de R$ 2.558 para instalar banco e pedaleiras para o garupa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.