Professor da Escola de Restauração fala sobre a importância de fazer sempre a limpeza do carburador para não ter problemas no carro antigo

Limpeza do carburador é um dos itens da manutenção dos carros antigos que se deve ter mais cuidado
Reprodução
Limpeza do carburador é um dos itens da manutenção dos carros antigos que se deve ter mais cuidado

Apesar de ter funcionamento simples, o carburador é um dos equipamentos mais
suscetíveis a falhas nos carros antigos por não estar preparado para trabalhar
adequadamente com os combustíveis atuais e, principalmente, por não receber os
cuidados preventivos necessários. Veja no vídeo abaixo as explicações do professor da Escola de Restauração, Pedro Rogério, sobre a importância da limpeza do carburador.  Abaxo, ele responde às dúvidas de alunos sobre o tema.

LEIA MAIS:  Gasolina no Carro Antigo: Comum ou Aditivada? Quanto Dura?

Mesmo sem falhas,  devo fazer manutenção no carburador do meu carro antigo?

Até sem falhas é recomendado fazer a limpeza do carburador e revisá-lo a cada 6 meses. A revisão preventiva evitará o ressecamento do diafragma e das juntas e a corrosão interna.

Porque devo limpar o carburador do meu carro antigo?

Além dos efeitos causados pelo uso, o elevado índice de álcool na composição da
gasolina (27% atualmente, na comum e aditivada) promovem nos carburadores tradicionais os danos que não ocorrem carburadores preparados para funcionar com etanol. Forma-se uma espécie de gel transparente, que se forma em seu corpo e ocasiona mal funcionamento e dificuldades de regulagem.

LEIA MAIS:  Os 10 carros clássicos mais incríveis esquecidos em garagens

Quais o que pode causar falhas no carburador além dos efeitos da sujeira?


1. Ressecamento do diafragma ou na bomba de aceleração: O diafragma pode ressecar
e trincar ocasionando vazamento de combustível e, consequentemente, cheiro forte de
combustível e até incêndio.
2. Rompimento ou ressecamento das juntas:  Estes danos nas juntas ocasionam
entrada falsa de ar no coletor de admissão e apagamento do motor. Outro efeito é o
vazamento de combustível e, consequente, cheiro excessivo de combustível, em casos
extremos, também pode chegar a incediar o carro. Somente a revisão preventiva pode evitar o defeito, bem difícil de ser diagnosticado.
3. Corrosão interna do carburador: como citado anteriormente, o alto índice de etanol
na composição da gasolina ataca o corpo do carburador e seus componentes de
borracha causando danos permanentes.

LEIA MAIS:  Qual tipo de equipamento de solda comprar para restaurar um carro antigo?

Cursos Relacionados ao Vídeo:
1- Curso de Restauração de Veículos Antigos:
http://www.escoladerestauracao.com.br/cursosderestauracao.asp
2- Curso de Carburadores e Curso de Motores na Restauração de Veículos Antigos:
http://www.escoladerestauracao.com.br/cursosderestauracao.asp

Pedro Rogério, professor da Escola de Restauração e especialista em carros antigos
Reprodução
Pedro Rogério, professor da Escola de Restauração e especialista em carros antigos

Pedro Rogério é Restaurador de Veículos Antigos especializado em Mecânica e realiza manutenção preventiva em coleções de Veículos Antigos. Membro do Corpo docente da Escola de Restauração de Veículos Antigos nos Cursos de Mecânica, o Professor Pedrinho como é conhecido pelos alunos, é da terceira geração de mecânicos e atua há mais de 25 anos na área de Manutenção e Restauração de Veículos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.