Com 166 cv de potência, SUV médio integra boa lista de opcionais por R$ 110.000. Confira mais detalhes no vídeo

O segmento de SUVs no Brasil foi o segmento que mais cresceu nos últimos anos. Com isso, uma marca ganhou muito destaque. Estamos falando da Jeep, que nunca havia empolgado nas vendas por aqui. Mas com a unificação do Grupo Fiat-Chrysler no Brasil, a marca acabou se revelando um grande fenômeno, chegando a emplacar dois modelos entre os SUVs mais vendidos: Compass e Renegade.

LEIA MAIS: Jeep Compass Limited Diesel surpreende com bom conjunto mecânico

O Jeep Compass chegou ao mercado em 2016, como um modelo de transição para aqueles que já tinham um Renegade, ou queriam um carro um pouco maior, com estilo mais tradicional. Com características de " mini-Cherokee ", o modelo ganhou a atenção do publico e hoje é um dos modelos mais vendidos do segmento, superando até mesmo o "irmão menor" e mais em conta. Como as versões a diesel são mais caras, a Jeep comercializa o SUV com motorização 2.0 Flex, de até 166 cavalos, sempre acoplado ao câmbio automático, de seis marchas.

LEIA MAIS: Peugeot 208 assume sua melhor forma com novo câmbio automático

O Falando de Carro escolheu mostrar a versão 2.0 Longitude Flex, que hoje representa o maior mix do modelo. Com bons itens, o Compass Longitude custa R$ 110.000 com mais R$ 5.000 em opcionais (farol com lâmpadas de xenônio, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, partida no botão e sistema de som Beats). E nós comprovamos que o SUV realmente tem conteúdo de sobra para brigar com modelos acima de seu segmento.

Como anda?

Jeep Compass Longitude Flex: SUV mostra conjunto bem acertado e bom custo-benefício, sua receita de sucesso
Renato Maia/Falando de Carros
Jeep Compass Longitude Flex: SUV mostra conjunto bem acertado e bom custo-benefício, sua receita de sucesso

O modelo tem bons arremates, com painel e portas dianteiras em so ft-touch e acerto mecânico muito bem feito. Já elogiado no Renegade, seu companheiro de plataforma, o Compass tem boa suspensão, absorvendo bem os buracos e não fazendo barulhos.

LEIA MAIS: Toyota Corolla XRS: confira o vídeo do sedã médio em detalhes

O motor 2.0, de 166 cv,  fica devendo um pouco mais de disposição em saídas e retomadas, o que prejudica no consumo urbano, não passando dos 8 km/l. Entretanto, quem colocá-lo na estrada irá se deparar com um SUV bem econômico. Sem pressa, é possível chegar aos 13,5 km/l, com gasolina no tanque de combustível. 

No quesito espaço, o Compass agrada tanto na parte dianteira, quanto para os passageiros de trás. Há uma boa distribuição, acomodando três ocupantes com bastante conforto no banco de trás.  Outro ponto positivo é o porta-malas, de 410 litros. Criticado no Renegade, o Jeep Compass tem mais espaço, garantindo espaço para levar a bagagem da família. Confira o vídeo acima.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.