Com mudanças no desenho e itens de segurança, modelo quer defender terceira posição entre os mais vendidos do segmento

A Nissan  dá o ponta pé inicial no efeito dominó que será a série de lançamentos de sedãs médios no Brasil nos próximos meses. A versão renovada do Sentra começa a chegar às lojas com várias novidades para defender a terceira posição da marca no ranking dos modelos mais vendidos no segmento. Mas, apesar das mudanças serem positivas, não será uma missão das mais fáceis, já que as rivais Honda  e Chevrolet vão atacar com chumbo grosso: as novas gerações, completamente reformuladas, de Civic e Cruze , ambos previstos  para o fim de agosto.

As principais novidades do Sentra estão na frente mais arrojada, seguindo o estilo adotado nos lançamentos recentes da marca e que procura trazer jovialidade. Os faróis agora contam com filetes de LED contínuo, também aplicados nas lanternas traseiras. E o capô ganhou vincos mais profundos e um ressalto na parte de trás, próximo do pára-brisa, que deu um toque de esportivo do carro. Além disso, nas versões SV e SL, há novas rodas de aro 17 com acabamento diamantado. Novas também são as duas cores inéditas: Vermelho Malbec e Cinza Grafite.

O interior também teve boas mudanças. Desde a versão mais em conta S (R$ 79.990), o carro vem com retrovisor fotocrômico e mostrador de 5 polegadas no quadro de instrumentos, bem como volante reestilizado, baseado no que equipa o cupê esportivo 370Z. Em seguida, no SV (R$ 84.990) já é possível encontrar sistema multimídia com GPS, câmera de ré, seis air bags e controlador de velocidade (“piloto automático”).

Mas é na topo de linha SL (R$ 95.990) é que a lista fica mais recheada de novidades. Além de teto solar e retrovisores eletricamente rebatíveis, o sedã vem com retrovisor de bússola, banco do motorista com regulagens elétricas, tela TFT colorida no meio dos mostradores, som de alta-fidelidade Bose (4 alto-falantes, 2 tweeters e 2 subwoofers) e mais dois sistemas de segurança interessantes.

Luz é acesa toda vez que um veículo passa nas laterais do Sentra SL
Divulgação
Luz é acesa toda vez que um veículo passa nas laterais do Sentra SL

Um deles é o monitoramento de ponto cego (sinal sonoro e luzes nos retrovisores avisam sobre veículos passando ao lado do carro) e alerta de colisão frontal, que atua a partir de 5km/h, caso seja detectada diferença de velocidade significativa em relação ao obstáculo que estiver à frente. 

Nos Estados Unidos, onde o Sentra também é vendido, ainda existem mais dois dispositivos eletrônicos de segurança que ficaram de fora da lista do modelo que chega ao Brasil. Um deles é o piloto automático adaptativo (mantém uma distância constante do carro da frente, mesmo com variação de velocidade) e frenagem de emergência (no caso de colisão iminente, o carro é freado automaticamente). 

Na parte estrutural, a  Nissan  diz que aumentou a rigidez da carroceria e recalibrou a suspensão com molas e amortecedores 10% mais rígidos, o que ajudou a reduzir a inclinação do carro nas curvas. Mas o  motor continua sendo o 2.0 flex. de 140 cv que funciona agora apenas com câmbio automático CVT. Portanto, não existe mais opção de câmbio manual de seis marchas.

Durante as primeiras impressões ao dirigir, o Sentra manteve seu rodar confortável e silencioso de sempre. Mas sem muito tempero. O câmbio CVT não conta com opção de trocas sequenciais, nem hastes atrás do volante, de boa empunhadura e revestido de couro.

Alavanca do câmbio automático CVT do Sentra 2017
Divulgação
Alavanca do câmbio automático CVT do Sentra 2017

O máximo que você vai conseguir para ajudar numa tocada mais animada será acionar o pequeno botão que desliga o overdrive, na própria alavanca, quando o câmbio mantém o giro do motor sempre mais alto, o que ajuda a deixar o carro mais esperto em trechos sinuosos e nas ultrapassagens. Esse recurso também é útil para poupar os freios em descidas, com o chamado “freio-motor”. Ao ligar o overdrive, porém, a prioridade é a economia de combustível. Então, a 120 km/h, o contagiros marca apenas 2.000 rpm, o que também contribui com o baixo nível de ruído.

Bom no Sentra é que todas as versões contam com controle eletrônico de estabilidade (ESP) e ancoragem para cadeirinhas infantis ISOFIX, além de sensores que ligam os faróis automaticamente ao escurecer.

Mas apesar de tudo isso fazer parte de um pacote muito bem-vindo, não há nada de muito sofisticado, o que deverá acontecer, pelo menos, nas versões mais completas dos novos Civic e Cruze , que custarão acima de R$ 100 mil. É uma aposta da Nissan em não entrar numa faixa de preço em que começam a aparecer sedãs de marcas de luxo, como Audi  e Volvo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.