Na quarta geração, SUV de luxo quer ser alternativa para Audi Q7, BMW X5 e Volvo XC90

A Lexus traz a quarta geração do crossover RX , como parte de sua estratégia para aumentar suas vendas em 70% ainda este ano. O modelo mais vendido da marca chega ao país em duas versões, com preços a partir de R$ 337.350, de olho nos clientes dos adversários Audi Q7 , BMW X5 , Mercedes-Benz GLE e Volvo XC90 , além do recém-lançado Jaguar F-Pace .

Com o novo design, o RX 350 fica alinhado ao irmão menor NX 200t , com a enorme (e polêmica) grade em forma de ampulheta. Vincos atravessam as laterais do capô até essa grade, dando uma cara mais agressiva ao crossover. Os faróis são pequenos e finos, enquanto as luzes de neblina ficam em um posicionamento diferente, no meio do para-choque dianteiro.

Ambas as versões utilizam o mesmo motor 3.5 V6 de 305 cv e 38 kgfm a 4.700 rpm, abastecido apenas com gasolina e associado ao câmbio automático de oito marchas, sempre com tração integral. Vem de série com 10 airbags, vetorizador de torque nas curvas, assistente de partida e descida em rampas e suspensão adaptativa. O problema é que bebe bastante, com um rendimento de 8,5 km/l.

A versão básica, por R$ 337.350, vem com sistema multimídia com tela de cristal líquido de 12,3”. Não é sensível ao toque, o controle é feito através de um joystick que lembra um mouse de computador, posicionado no console central. A central conta com navegação por GPS, TV digital, comando de voz, conexão Bluetooth e 12 alto-falantes (oito speakers e quatro tweeters).

Os bancos dianteiros são elétricos e o ar-codncionado digital é de duas zonas. Há também controle de cruzeiro, aquelcimento dos bancos, teto solar elétrico e portas que abrem ao colocar as mãos na maçaneta quando a chave está perto. A versão F-Sport, por R$ 352.950, inclui heads-up display, rodas de 20” de liga leve, carregador de celular sem fio, painel de instrumentos digital e paddle shifts no volante para troca de marchas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.