Versão conversível chega ao Brasil por R$ 164.950 mais divertida e sofisticada como nunca.

Poucos carros combinam com uma versão conversível, de quatro lugares, como o Mini Cooper. Seu caráter lúdico e divertido caem como uma luva com a idea de abaixar a capota e curtir uma viagem ao ar livre.  Então, a Mini do Brasil foi ágil ao trazer a nova geração do Cabrio ao Brasil. O carro foi apresentado em novembro do ano passado, no Salão de Tóquio (Japão), e agora, dez meses depois, já está nas lojas por aqui pelo preço sugerido de parte de R$ 164.950.

O Mini Cooper S Cabriolet chega apenas na versão S, com motor 2.0 turbo, de 192 cv e bons 28,6 kgfm de torque entre 1.250 e 4.000 rpm e câmbio automático sequencial de seis marchas, com hastes atrás do volante para quem se animar a impor uma tocada mais esportiva. Seguindo a tradição dos roadsters ingleses, o novo Mini Cabrio pode ser personalizado de acordo com o gosto do freguês, já que há várias cores da carroceria (com ou seus faixas decorativas), adesivos e quatro tons diferentes de revestimento dos bancos. As rodas de aro 17 são exclusivas desta versão com capota retrátil, de lona, com a bandeira da Grã Bretanha, estilizada.

Na comparação com a geração anterior do Mini Cabrio,  a nova ganhou um pouco mais de espaço com o entre-eixos aumentado em 28 mm. Mesmo assim, nos bancos traseiros, apenas crianças pequenas conseguem se acomodar sem aperto. Porém, quem for sentado na frente, vai confortável nos bancos com apoios laterais qye conseguem segurar o corpo nas curvas e acomodar bem. Não há regulagens elétricas, mas a posição de dirigir é perfeita. Basta ajustar o banco e o volante na altura ideal. 

Por dentro, o Mini Cabriolet também é divertido, com o enorme mostrador do centro,  quatro opções de cores de revestimento e boa ergonomia
Divulgação
Por dentro, o Mini Cabriolet também é divertido, com o enorme mostrador do centro, quatro opções de cores de revestimento e boa ergonomia

Como a pegada do Mini Cabrio é divertida, o ambiente na cabine segue o clima com enorme mostrador central com borda de luz que muda de cor de acordo com uma série de variáveis, como ajuste do modo de condução ou o altura do volume do sistema de som, da Harman Kardon, com 400 watts de potência e jukebox de 20 Gb para quilômetros e quilômetros de música de alta-fidelidade. O acabamento caprichado também agrada, mas é preciso de acostumar com os solavancos causados pelo ajuste mais firme da suspensão que não fala a mesma língua do piso mal conservado da maioria das vias brasileiras. E olha que a unidade avaliada estava sem os pneus do tipo run flat , que são oferecidos como opcionais.

Dada a partida no botão vermelho no painel (que fica piscando como se o carro estivesse pedindo para ser ligado) você tem três opções: andar de capota totalmente abaixada, no modo teto solar ou fechada. Tudo isso é controlado por um comando no teto, de maneira fácil, em exatos 18 segundos, tempo para a capote cobrir totalmente o carro.  Pelo menos durante as primeiras impressõs ao dirigir, a cobertura mostrou bom isolamento acústico e boa vedação.  Além disso, também merece destaque a tela central que mostra as informações do GPS com mapas em 3D, bem como o aplicativo conhecido como “Rain Warner” , que avisa que ee melhor encostar o carro num lugar seguro e fechar a capota porque vem chuva pela frente.

 Aperte o botão de partida e divirta-se

Acelere e ouça o ronco borbulhante saindo pelas duas saídas de escape na traseira
Divulgação
Acelere e ouça o ronco borbulhante saindo pelas duas saídas de escape na traseira

Se o carro estiver dentro dos parâmetros necessários e houver condições seguras, pode-se acionar o chamado “controle de largada”, pisando no freio com o pé esquerdo e no acelerador com o direito e soltando o freio em seguida para o carro partir em disparada, atingindo 100 km/h em 7,1 segundos.  É um começo radical que dá uma idéia do caráter esportivo do Mini Cabrio S. Daqui em diante, faça as trocas de marcha pelas hastes atrás do volante e ouça o ronco borbulhante  pelas duas saídas de escape na traseira. Para quem gosta de dirigir, é algo que pode causar dependência.

A tração é apenas dianteira, mas existem tantos dispositivos de controle de tração e estabilidade que parece que o carro anda sobre trilhos. É apontar a nariz do Mini Cabrio para o interior das curvas para o carro obedecer como um cão farejador. Entre outros itens, a distribuição de peso entre os eixos de 52% na frente e 48% atrás  ajuda a transmitir segurança, bem como as respostas sempre ágeis da direção e dos freios, com discos ventilados nas quatro rodas. Aliás, se estiver chovendo, as pinças se encarregam de eliminar a fina lâmina de água dos discos e, se o sistema começar a mostrar sinais de fadiga por superaquecimento, é acionado um recurso de aplica mais força nas pinças para garantir frenagens seguras. 

Nos conversíveis compactos, não há como evitar o problema do porta-malas pequeno. No Mini Cabrio, são apenas 160 litros. Mas inventaram um jeito de faciliar o acesso ao compartimento com a capota fechada, aumentando o vão de abertura do compartimento soltando duas travas no interior do porta-malas. Funciona bem. Dá até para acomodar uma mala de porte médio, sem muito esforço. Mas os sensores nos para-choques,  que ajudam nas manobras de estacionamento, são opcionais.

A Mini espera vender 70 unidades do Cabrio S no Brasil até o final do ano, volume que vai aumentar para cerca de 150 unidades em 2017. Mesmo com o clima inseguro que se vive nas grandes cidades do Brasil, a fabricante diz que a procura por essa versão conversível é boa no mercado brasileiro e que existe uma certa demanda reprimida  por esse tipo de carro. Quem ainda não estiver satisfeito com essa versão S, pode esperar pela Jonh Cooper Works, lançada em março, no Salão de Genebra (Suíça). De acordo com o que apurou a reportagem de iG Carros , o Brasil também vai receber este carro, com chances de ser mostrado no Salão do Automóvel, em novembro.

Ficha Técnica

Preço: R$ 164.950

Motor: 2.0 , quatro cilindros, turbo

Potência: 192 cv a 5.000 rpm

Torque: 28,6 kgfm entre 1.250 e  4.600 rpm

Transmissão: Automática, de seis marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) / multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e na traseira

Pneus: 205/45 R17

Dimensões: 3,85 m (comprimento) / 1,72 m (largura) / 1,42 m (altura), 2,49 m (entre-eixos)

0 a 100 km/h: 7,1 segundos

Vel. Max: 228 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.