A partir de R$ 350.990, Mercedes-Benz C 43 AMG passa a ser o modelo AMG mais em conta da marca campeã de Fórmula 1

O Mercedes-Benz C 43 AMG chega para ser a porta de entrada para conhecer os carros da Mercedes-AMG.
Divulgação/Mercedes-Benz Brasil
O Mercedes-Benz C 43 AMG chega para ser a porta de entrada para conhecer os carros da Mercedes-AMG.

Há uma brecha muito grande na gama do Mercedes-Benz Classe C. Quem quer uma versão mais forte do sedã encontra um salto de preço de mais de R$ 100 mil entre a configuração C250 Sport e o monstruoso e potente Mercedes-AMG C 63 S . Para corrigir isso, a marca alemã passa a oferecer um novo modelo, o Mercedes-AMG C 43, por R$ 350.900 no sedã de quatro portas e R$ 397.900 no cupê, de duas.

O preço já diz tudo: É um carro para poucos, para os ricaços que já tem um bom carro alemão e procura algo mais rápido. É exatamente esse o perfil do cliente que a Mercedes-Benz quer conquistar com o C 43 , oferecendo um sedã que vai se comportar bem nas ruas, mas que mostra sua verdadeira vocação quando entra em uma pista de corrida. E, se gostar do resultado, que compre também um C 63 ou outro AMG mais potente para fazer track day.

LEIA MAIS: Mercedes antecipa detalhes do novo AMG GT Roadster

Sob o capô do Mercedes-Benz C 43 AMG está o motor 3.0 V6 biturbo de 367 cv e 53 kgfm de torque. Acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos.
Divulgação/Mercedes-Benz Brasil
Sob o capô do Mercedes-Benz C 43 AMG está o motor 3.0 V6 biturbo de 367 cv e 53 kgfm de torque. Acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos.

 A Mercedes-AMG cuidou de todos os aspectos do C 43 . Desenvolveram o visual, com um capô mais longo, laterais altas, grade diamante e rodas exclusivas de 19 polegadas. A traseira tem um spoiler integrado na tampa do porta-malas,  duas saídas duplas de escapamento e lanternas traseiras mais longas. Isso sem contar a diferença causada pela ausência das portas traseiras no cupê.

LEIA MAIS: Mercedes BRABUS 850 GLE está à venda no Brasil por R$ 2,7 milhões

Do lado de dentro, temos um interior semelhante ao do Classe C convencional. Os bancos esportivos são revestidos de couro, com cinco opções de cor. O painel central tem acabamento de fibra de carbono, exclusivo para o C 43 AMG . Vem de série com teto solar panorâmico, sensor de estacionamento traseiro, câmera de ré, faróis full LED, sete airbags, volante multifuncional, sistema Start/Stop, central multimídia com tela de 8,4 polegadas controlada por um touchpad no console central, sensor de chuva e ar-condicionado automático de duas zonas.

O médico e o monstro

A Mercedes-Benz equipou o C 43 com o motor 3.0 V6 biturbo, capaz de gerar 367 cv entre 5.550 e 6.000 rotações. O torque é impressionante, de 53 kgfm entre 2.000 e 4.200 rpm. Seu desempenho é bem mais modesto do que o V8 de 510 cv e 71,3 kgfm do C 63, embora não deixe de ser surpreendente. Pelos dados de fábrica, acelera de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos, com velocidade máxima limitada eletronicamente em 250 km/h.

Paa manter esse monstro sob controle, colocaram muita tecnologia. O câmbio é o 9G-TRONIC de dupla embreagem e nove marchas, transmitindo o torque para as quatro rodas pelo sistema 4MATIC, com uma distribuição que dá preferência para a traseira (69% do torque vai para o eixo traseiro). Como um bom esportivo, tem aletas atrás do volante para fazer trocas manuais.

Pagar R$ 615.900 no C 63 AMG é difícil? O C 43 vira uma boa escolha, já que custa R$ 200 mil a menos.
Divulgação/Mercedes-Benz Brasil
Pagar R$ 615.900 no C 63 AMG é difícil? O C 43 vira uma boa escolha, já que custa R$ 200 mil a menos.

Equipado com a suspensão esportiva AMG Ride Control , o C 43 pode mudar seu comportamento de acordo com os comandos do motorista. Ao selecionar o modo Comfort, o carro vai andar de forma parecida com o Classe C , embora um pouco mais duro do que o sedã executivo normal. Basta outro toque para ajustar a suspensão no modo esportivo, e é aqui que o médico alemão vira um monstro.

LEIA MAIS: Mercedes CLA 2017 chega ao Brasil com uma série de mudanças

Acelerei o C 43 AMG no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), em poucas voltas feitas com cada versão. Tudo isso sobre mecânica que gastei parágrafos explicando são traduzidos ao pisar fundo e atacar a primeira curva do circuito: o C 43 não é bom. É muito bom. Os 53 kgfm de torque fazem com que o esportivo dispare ao acelerar. Para quem tem mais experiência, o carro está sempre na mão, sem interferir na brincadeira com algum equipamento de segurança. Se a situação apertar, o controle de estabilidade e tração vai garantir eventuais correções de trajetória.

Encarou toda a pista com tranquilidade. Fazia a parte mais inclinada com animação, devorou a curva em S com muito apetite e rugia como se pedisse mais. Tudo bem, o C 63 é uma criatura mais aterrorizante, mas também custa muito mais – acaba de ganhar uma versão Coupé , por R$ 615.900. Por R$ 200 mil a menos, é possível ter um monstro feito pela AMG que vai assustar qualquer um com seu ronco pelas ruas enquanto faz qualquer um sorrir feito criança.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.