Tamanho do texto

Novo compacto chega com força para bater de frente com Fiat Argo, VW Polo e Honda Fit. Saiba como anda a versão intermediária do novo hatch

Toyota Yaris 1.3 CVT: feito com uma versão evoluída da plataforma do Etios, hatch conta com qualidades do Corolla
Cauê Lira/iG Carros
Toyota Yaris 1.3 CVT: feito com uma versão evoluída da plataforma do Etios, hatch conta com qualidades do Corolla

O Toyota Yaris carrega grandes expectativas para a montadora japonesa. Conforme o último levantamento publicado pela Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos), o segmento de hatches compactos compreende 27% do mercado nacional nos cinco primeiros meses de 2018. Com o lançamento, a Toyota passa a contar com um repertório mais vasto para garantir melhores números na categoria.

LEIA MAIS: Ford Ka Freestyle com câmbio automático parte de R$ 67.990

A estratégia? "Corollizar" o Yaris. Até internamente, a marca confessa que o Etios não é dos mais bonitos entre os subcompactos. Mas eles também não estão se importando muito, afinal, ele foi o carro mais vendido na Argentina no ano passado. Com o Toyota Yaris , a estratégia muda e fica ainda mais agressiva, principalmente no Brasil. O Corolla supera o Honda Civic nas vendas há mais de dez anos, e o mesmo “DNA” do sedã médio foi aplicado ao lançamento. Dessa vez, quem treme na base é o City.

Para o lançamento, avaliamos uma das versões de maior volume: A XL Plus com câmbio CVT e motor 1.3, que sairá das concessionárias por R$ 69.590. É a primeira vez que esse conjunto aparece em um carro da Toyota no Mercosul, e mesmo sendo uma das versões mais básicas do modelo, é possível cravar: tudo que gosto no Corolla aparece no Yaris.

LEIA MAIS: Chevrolet Onix Activ surpreende pela economia de combustível

Se você quer um carro para acelerar, vá para uma loja da Volkswagen e compre o Polo. A Toyota pensa diferente, dando maior foco para a eficiência energética. Para isso, os motor 1.3, de quatro cilindros, que desenvolve 101 cv de potência vem bem a calhar. O acelerador eletrônico chega a ter um pequeno atraso nas respostas, mas tudo é feito para priorizar o consumo de combustível. Falaremos dele mais para frente.

Como ítens de série, o Yaris traz direção eletroassistida progressiva, ar-condicionado, sistema de fixação Isofix, retrovisor fotocrômico, cinto de três pontos para todos os ocupantes. A versão que avaliamos, com câmbio CVT, traz ainda com computador de bordo, controle de cruzeiro, retrovisores elétricos, volante multifuncional com funções de som e regulagem elétrica dos faróis. Sem falar em uma nova central multimídia, com tela de de sete polegadas, digna de deixar o Corolla com inveja. A marca já confirmou que ela será integrada ao sedã médio, em breve.

LEIA MAIS: Mitsubishi ASX 2.0 revela robustez por trás de projeto maduro

Os materiais utilizados no habitáculo são os mesmos do Etios. Mas isso não torna o Yaris um carro menos competente. Os arremates são bem encaixados e sem rebarbas. A versão que andamos, por exemplo, traz acabamento plástico em imitação de aço escovado, assim como outros detalhes em preto brilhante. Preste atenção na foto e você verá que há até um detalhe simulando costura em couro, nos arredores do painel central. Tecido nas portas? Apenas em um pequeno trecho do encosto de braço.

Destaque do interior é a nova central multimídia, mais prática e intuitiva que a do Corolla atual
Cauê Lira/iG Carros
Destaque do interior é a nova central multimídia, mais prática e intuitiva que a do Corolla atual

Com 1,84 m de altura, me acomodei bem no banco traseiro do hatch. Melhor, inclusive, que a versão sedã. O entre-eixos de 2,5 m é o mesmo para as duas versões, mas o sedã conta com a queda do teto que atrapalha o espaço para a cabeça entre os mais altos. O porta-malas também é um destaque em relação aos rivais: 310 litros, ante 300 litros da dupla VW Polo e Fiat Argo.

LEIA MAIS: Fiat Toro Blackjack revela o lado negro da força

O primeiro triunfo sobre o City? Ele tem controle de estabilidade de série, item que a Honda deixou escapar na hora de revitalizar o sedã compacto no ano passado. No caso do Volkswagen Virtus, ele aparece na configuração 1.6, com Connect Pack. E nós tivemos a oportunidade de testar o equipamento em uma situação adversa.

Equilibrado

Suspensão bem acertada, que garante boa estabilidade e absorve bem as irregularidades do piso agradou no teste drive
Cauê Lira/iG Carros
Suspensão bem acertada, que garante boa estabilidade e absorve bem as irregularidades do piso agradou no teste drive

O Kartódromo de Granja Viana é um dos mais populares de São Paulo. Com o solo emborrachado em um dia de chuva, é fácil sair de frente no trajeto estreito. E estas foram as condições que enfrentamos ao longo de três voltas com o Yaris por lá. O que mais chama atenção é o acerto de suspensão. Suave, ao mesmo tempo que garante a rigidez necessária para fazer uma curva em alta velocidade. Esta é uma das características mais legais do Corolla.

LEIA MAIS: JAC T40 CVT atrai pelo preço, mas precisa evoluir

O Yaris vem com suspensão McPherson com batente hidráulico na dianteira. Dessa forma, as chatas batidas secas causadas pelos buracos das ruas brasileiras são amenizadas. Ainda tinha a pulga atrás da orelha de que este motor 1.3 não teria potência suficiente por conta do câmbio CVT. E de fato, o carro não empolga nas acelerações. Mas também não fica muito atrás do 1.6 MSI da Volkswagen, ou o 1.3 Firefly da Fiat.

Você não terá o conforto do Yaris em nenhum dos rivais. O Polo, por exemplo, só aparece com câmbio automático na versão TSI, e o Argo tem a opção automatizada que garante um trajeto impreciso e cheio de trancos. É quase uma subcategoria em que a Toyota briga sozinha.

LEIA MAIS: Citroën C4 Lounge: sedã se renova para brigar com rivais

O Toyota Yaris consolida a estratégia da marca no mercado brasileiro. Junto de Cronos e Virtus, a novidade da marca japonesa passa a integrar a lista dos lançamentos mais importantes do ano. O preço é salgado, considerando que o potencial cliente teria que desembolsar R$ 69.590 por um hatch compacto. Mas por este valor, você não comprará outro modelo tão legal, ainda mais com o competente câmbio CVT que proporciona conforto extremo.

LEIA MAIS: Fiat Cronos e Volkswagen Virtus se enfrentam, ambos com câmbio manual

Ficha técnica

Preço:R$ 69.590
Motor: 1.3, quatro cilindros, flex
Potência: 101 cv a 5.600 rpm
Torque: 12,9 kgfm a 5.600 rpm
Transmissão: automática, CVT
Suspensão: McPherson (dianteira), eixo de torção (traseira)
Freios: discos ventilados (dianteira), tambor (traseira)
Dimensões: 4,14 m de comprimento, 1,73 m de largura e 1,50 m de altura, 2,55 m de entre-eixos 
Porta-malas: 310 litros
Tanque: 45 litros
Consumo: 13,0 km/l na cidade e 14,1 km/l na estrada (gasolina),  8,9 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada (etanol)