Toyota RAV4 volta a entrar na moda

Modelo deixa de ser obsoleto com novo visual e mecânica e ainda ganha descontão no preço

Thiago Vinholes | 7/5/2013 12:05

Toyota RAV4 2013 2.5 16V gasolina 4p automático seq. 4x4

Dados técnicos
Preço
R$ 119.900
Capacidade
5 passageiros
Velocidade máxima
0 km/h
0 a 100 km/h
0 s
Consumo urbano
0 km/l
Potência
179 cv
Torque
23,8 kgfm
Porta-malas
410 litros
Veja ficha técnica completa

A Toyota diz ser a pioneira na categoria dos chamados “utilitários crossovers”, um tipo de veículo que une a agilidade e conforto de rodagem de um carro de passeio, como um sedã ou uma perua, com a versatilidade e robustez de um SUV. Em outras palavras, é um jipe para andar na cidade e vez ou outra enfrentar um trecho de terra. O RAV4, lançado em 1994, foi quem lançou a tal moda, seguida por diversas montadoras atualmente. Hoje, passados quase 20 anos desde sua estreia, o modelo chega a quarta geração seguindo novas tendências.

O RAV4, que não mudava desde 2006, enfim se livrou da cara de “tiozão”, característica que define bem boa parte dos carros da Toyota – o Corolla que o diga. A reformulação do RAV4 foi baseada nos traços do conceito Furia, um carro cheio de curvas marcantes, traços modernos e músculos pela carroceria, padrão que será adotado em breve em todos os produtos da fabricante japonesa – inclusive no Corolla.

Essa mudança, como não poderia ser diferente, transformou o RAV4, que era um veículo já defasado, em carro moderno e até chamativo, uma revolução para um veículo que estava já alguns anos no ostracismo da categoria que inventou. Ele ficou mais encorpado, ganhando mais alguns centímetros em altura e comprimento, e o interior está mais sofisticado, com um desenho moderno, embora a Toyota ainda insista em preencher a cabine com (muito) plástico.

Por outro lado, o interior do veículo está mais espaçoso, principalmente no banco traseiro. Houve, porém, um sacrifício na capacidade do porta-malas, que caiu de 540 litros para 410 l. O estepe, que deixou a tampa do porta-malas para ser armazenado no interior do veículo, também rouba muito espaço, em especial na versão para o mercado brasileiro, que traz a roda e pneu nas medidas originais do carro - no exterior o modelo usa um estepe de emergência, mais compacto.

Novos motores

Seguindo a moda do downsizing, em que os motores estão cada vez menores e mais potentes, o RAV4 atirou pela janela o motor V6 (no exterior, onde era oferecido) e adotou uma postura mais ecológica com motores 2.0 e 2.5 com modernos controles de válvulas e escape, que ajudam a gerar mais potência com menor consumo de gasolina. Mas ainda não impressionam.

O iG Carros testou a versão top de linha, com motor 2.5 litros de 179 cv e 23,8 kgfm de torque máximo e câmbio automático sequencial de 6 marchas e tração 4x4. Por se tratar de um veículo pesado – essa versão pesa 1.630 kg – o desempenho não é dos melhores. Ao pisar fundo no acelerador a resposta demora a chegar e o consumo vai para o espaço. Em nossa avaliação, por estradas do interior de São Paulo, o marcador não passou de 7 km/l.

É pouca potência para muito peso, mas depois que o veículo embala a sensação melhora. Colabora para isso o bom funcionamento da transmissão, que faz trocas quase imperceptíveis, e o primoroso isolamento acústico, que esconde o esforço descomunal que o motor faz para mover as mais de duas toneladas do novo RAV4 – no modelo 2.0 com câmbio CVT (4x2 ou 4x4) o nível de ruído é ainda menor, mas o desempenho de aceleração é ainda mais desanimador.

Se for encarar algum trecho off-road, com piso realmente mais complicado, o RAV4 facilita o trabalho com um bloqueio de diferencial central, que divide o torque gerado pelo motor entre os dois eixos, gerando mais tração com o piso acidentado. No entanto, essa não é praia do novo modelo da Toyota, mais acostumado ao asfalto.

Como é de praxe, a Toyota do Brasil não divulgou números de aceleração, velocidade máxima e performance de consumo de combustível em regimes urbano e rodoviário.

Pacote de itens e preços

O RAV4 destinado ao mercado brasileiro vem bem equipado, mais até que alguns concorrentes. A lista do modelo top de linha inclui ar condicionado dual zone, câmera de ré, controlador de velocidade de cruzeiro (Cruise Control), botão de ignição, teto solar... E por aí vai, contando também com itens de segurança, no caso freios ABS de última geração e seis airbags na cabine. A Toyota, porém, errou feio ao não instalar no veículo GPS embutido no painel e controle eletrônico de estabilidade, equipamentos que estão presentes nos modelos à venda nos EUA, Europa e Japão. Uma pena.

A montadora, todavia, baixou bastante os preços do RAV4 para o mercado brasileiro. Já homologada no Inovar Auto, a marca conseguiu lançar seu novo produto no Brasil com preço inicial de R$ 96.900 na versão de entrada 2.0 4x2, ante caros R$ 108.500 do modelo anterior. A tabela continua com o modelo 2.0 4x4, por R$ 109.900, e o 2.5 4x4 custa R$ 119.900.

Conforme anunciou a Toyota durante o lançamento, o novo RAV4 chega para ser o principal produto importado (ele vem do Japão) da marca no Brasil, com volume mensal de 800 unidades comercializadas, um número bastante promissor para o segmento, hoje encabeçado no mercado nacional pelos modelos Honda CR-V e Hyundai ix35. A dupla que se cuide...

Leia tudo sobre: ToyotalançamentosRAV4utilitário esportivo2013

PESQUISE CARROS