Com 1,5% de crescimento, vendas de motos mostram estabilidade. Setor espera que 2º semestre seja melhor, embora abaixo do resultado de 2015

Leve aumento de 1,5% nas vendas de motos mostra uma tendência de estabilidade para o setor no segundo semestre.
Divulgação
Leve aumento de 1,5% nas vendas de motos mostra uma tendência de estabilidade para o setor no segundo semestre.

A crise econômica não afeta apenas o setor automotivo. Segundo os dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), as vendas de motos cresceu 1,5% de junho para julho, enquanto a produção caiu 7,6% no mesmo período. A estatística considera apenas motos novas, ainda que o licenciamento de motos usadas seja obrigatório desde 2015.

LEIA MAIS: Barulho de moto pode prejudicar a audição

De acordo com o Renavam, as vendas de motos aumentaram de 73.343 unidades em junho, para 74.417 motocicletas, um crescimento de apenas 1,5%, que anima um pouco o setor por mostrar uma tendência de estabilidade para os próximos meses. Isso é uma boa notícia, já que o resultado é 30,9% abaixo do obtido em julho de 2015, quando foram emplacadas 107.741 unidades.

Se as vendas de motos estão em baixa, a produção tende a cair. A Abraciclo diz que a fabricação foi de 81.387 motocicletas em junho, para 75.233 unidades em julho, uma queda de 7,6%. É uma quantidade muito abaixo das 102.450 motos produzidas no mesmo mês do ano passado, o que representa uma retração de 26,6%.

LEIA MAIS: Triumph lança duas novas motas extremamente divertidas

Muitas marcas de automóveis estão apostando em exportações para se livrar da crise. Não tem dado muito certo no setor de motocicletas. As vendas externas recuaram 50,4% entre junho e julho, indo de 7.657 unidades para 3.798 motos. Comparado com julho de 2015, a queda foi de 55,7%. Até a venda para concessionários caiu, de 77.368 unidades para 71.760 exemplares, 7,2% a menos.

Primeiro semestre ruim

Historicamente, o segundo semestre sempre é melhor em vendas do que o primeiro. Se a tendência continuar, irá ajudar a recuperar o péssimo momento que o segmento teve na primeira metade do ano. Nos seis primeiros meses, foram emplacadas 469.581 motocicletas, 26,8% a menos do que as 641.707 unidades do mesmo período do ano passado, segundo o Renavam.

LEIA MAIS: Indian Scout é para curtir a estrada. PArte de R$ 49.990

As fábricas produziram 464.357 exemplares no primeiro semestre, uma queda de 33,4% ante as 697.540 motocicletas fabricadas em 2015. A projeção da Abraciclo é que a produção em 2016 seja de 1.090.00 unidades, um recuo de 13,7% em comparação com as 1.262.708 unidades feitas em 2015, o que representa 172.708 unidades a menos. A projeção já foi revisada quando a entidade divulgou os dados da primeira metade do ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.