Kawasaki Ninja 300 chega em dezembro por R$ 17.990

Substituta da 'Ninjinha' 250R, nova opção de entrada da marca japonesa é superior em todos os sentidos

Fabio Ometto | 22/11/2012 10:29

Foto: Divulgação Veja galeria em tamanho maior

Kawasaki Ninja 300

Apresentada ao mundo no final de agosto, na Tailândia, a Kawasaki Ninja 300 já está entre nós. Primeiro produto global da marca japonesa, a substituta da “Ninjinha” 250R também assumiu sua linha de montagem na fábrica de Manaus, há dois meses, e chega às lojas do País na primeira quinzena de dezembro. A antiga versão será oferecida no mercado nacional até abril do ano que vem, quando a marca prevê esgotar seus estoques.
 
Concebida a partir de um projeto totalmente inédito, a Ninja 300 teve até mesmo a nomenclatura alterada, deixando de incluir o R, de Racing (ou corrida, em inglês), agora uma exclusividade das esportivas de maior cilindrada. Inspirado no estilo samurai da ZX-10R, o desenho da nova carenagem integra os faróis duplos, em formato pontiagudo, e as luzes de direção (piscas) dianteiras, na altura do para-lama. Com menos pontos de fixação e melhor fluxo de ar, o resultado, segundo a fábrica, é a dissipação mais eficiente do calor do motor, se comparada à 250R, bem como maior conforto, já que mantém o ar quente longe das pernas do piloto.

Veja mais: Kawasaki Versys 1000 Gran Tourer no Brasil

Os espelhos retrovisores também tiveram seu formato de losango revisto, e, agora, além de rebatíveis e mais aerodinâmicos, concentram a parte mais larga da lente próxima à extremidade externa, aumentando o campo de visão. A posição dos pedais e semi-guidões permitem uma posição de pilotagem ereta e confortável, sem abrir mão da esportividade. Para proporcionar melhor apoio dos pés no chão, o assento do piloto teve a largura reduzida.

Simples e de fácil leitura, o painel de instrumentos da Ninja 300 tem novo arranjo, combinando o mostrador digital de cristal líquido - que reúne velocímetro, odômetros total e parciais (A e B), nível de combustível, relógio e modo econômico de pilotagem – ao conta-giros que passa a ser analógico (na 250R é digital) – uma solicitação dos brasileiros feita nas pesquisas da Kawasaki junto aos consumidores. Outro pedido atendido foi o lampejador de farol.

Ganho de seis cavalos de potência

O coração da Ninja 300 é um novo motor bicilíndrico, com 296 cm³ de cilindrada, que gera a potência de 39 cv a 11.000 rpm e torque de 2,8 kgfm a 10.000 rpm. Em relação ao propulsor da 250R, seus 47 cm³ extras proporcionam 6 cv e 0,66 kgfm a mais. Paralelamente, o sistema de injeção eletrônica de combustível passou a contar com duas válvulas de aceleração, contribuindo para uma resposta mais linear do acelerador em todas as faixas de rotação, além de melhorar a eficiência na combustão. A fim de tornar o resfriamento do motor ainda mais eficiente, a taxa de compressão foi reduzida de 11,6:1 para 10,6:1, enquanto o sistema de refrigeração líquida foi redimensionado. Também o sistema de escape foi modificado, adotando o desenho do silenciador das versões de maior cilindrada. Com tudo disso, segundo a marca, as respostas da nova Ninja 300 ao acelerador são impressionantes e facilmente perceptíveis.

A transmissão de 6 velocidades foi reprojetada, com aumento de um dente na coroa (de 42 para 43) e a relação da 6ª marcha alongada, o que reduz o regime de rotações do motor em velocidades elevadas, o nível de ruído e o consumo de combustível. O sistema de embreagem deslizante da marca FCC, presente nas superesportivas e modelos de competição, que tem como finalidade diminuir o arrasto do pneu traseiro e o risco de perda de aderência em reduções bruscas de velocidade, também foi adotado na Ninja 300, que introduz ainda a função assistida, resultando no acionamento mais leve da manete.

O chassi tubular em aço conta com novos suportes de borracha, que diminuem as vibrações transmitidas para o piloto e garupa. A suspensão dianteira telescópica usa bengalas de 37 mm e, na traseira, balança com monoamortecedor a gás no sistema Uni-Trak, que garantem precisão nas mudanças de direção. Mais leves e em nova medida, as rodas calçam pneus IRC com dimensões de 110/70-17 na dianteira, as mesmas da 250R, mas mais largos na traseira, que passaram de 130/70-17 para 140/70-17 – outra reivindicação dos consumidores.

Produção nacional

Os freios têm como opcional o dispositivo antitravamento ABS, cujo módulo é 600 gramas mais leve e, mais compacto, pode ser instalado sob o banco, melhorando a distribuição de peso da moto. Os discos foram mantidos em formato de margarida, com 290 mm, na dianteira, e 220 mm, na traseira, ambos com pinça de dois pistões.
 
O peso total em ordem de marcha é de 172 kg (ou 174 kg na versão equipada com ABS). Com isso, a Ninja 300 tem relação de peso/potência de 4,41 kg/cv (sem ABS), melhorando em 0,71 kg essa razão sobre a antecessora.

Novo modelo de entrada da Kawasaki no mercado nacional, a Ninja 300 tem preço público sugerido (sem frete) de R$ 17.990, na versão sem ABS - disponível nas cores Lime Green, Pearl Stardust White e Ebony -, e de R$ 19.990, com ABS, na cor Lime Green Special Edition. O modelo 250R mantém o preço promocional de R$ 13.990. A marca oferece garantia de 1 ano (sem limite de quilometragem) e 50 concessionárias em todo o Brasil.  A previsão é de que a produção nacional mantenha o volume de quatro mil a cinco mil unidades por ano.

Leia tudo sobre: Kawasaki Ninja 300 Lançamentos motos

PESQUISE CARROS

RANKING

Veículos mais vendidos - junho de 2014

Pos. Modelo Vendas
Fiat Palio 14.080
Volkswagen Gol 13.167
Chevrolet Onix 10.993
Ford Fiesta 10.701
Fiat Strada 10.561
Hyundai HB20 9.528
Fiat Siena 8.544
Fiat Uno 7.580
Chevrolet Prisma 7.219
10º Volkswagen Voyage 6.953
Veja ranking completo