Captiva 2011 tem mudança dos sonhos

Utilitário esportivo da Chevrolet ganha novos motores de injeção direta, câmbio mais moderno e mais equipamentos. Tudo que os modelos fabricados no Brasil mereciam

Ricardo Meier | 25/2/2011 18:05:00

Foto: Divulgação Veja galeria em tamanho maior

Chevrolet Captiva V6 2011

Se no Brasil os clientes da Chevrolet ainda convivem com motores de 8 válvulas de comando simples, câmbios automáticos de 4 marchas e poucos equipamentos sofisticados, quem levar para casa o novo Captiva 2011 terá um carro de fazer inveja a donos de Vectra, Astra e Zafira, entre outros.

O utilitário esportivo fabricado no México recebeu importantes novidades, sobretudo na parte mecânica, como o iG Carros havia adiantado em primeira mão. Saíram de cena o 2.4 Ecotec e o V6 3.6 para a chegada de duas versões com injeção direta de combustível, que os torna mais econômicos e potentes.

O novo 2.4 Ecotec passou a render 185 cv, 14 a mais que o anterior, além de oferecer mais torque (23,8 kgfm). Com isso o desempenho melhorou: o 0 a 100 /km/h caiu de 11,3 segundos para 10,9 segundos – a velocidade máxima permanece limitada a 210 km/h. O consumo piorou cerca de 8%, segundo números divulgados pela GM. Exemplo: na cidade, o SUV fazia 10 km com um litro de gasolina e agora faz 9,3 km/l.

Outro responsável pelo desempenho superior é o câmbio automático de seis marchas com tecla Eco, que proporciona um regime mais preocupado com emissões e redução do consumo.

Downsizing

Já a versão V6, que possui opção de tração dianteira ou nas quatro rodas, recebeu um novo motor de menor volume, com 3.0 litros contra 3.6 litros do anterior, o chamado “downsizing”, uma tendência em voga na indústria atualmente que visa reduzir o tamanho do motores sem perdas significativas de performance. Apesar disso, o uso da injeção direta e uma concepção mais moderna o tornaram mais potente que seu antecessor. Se antes o V6 possuía 261 cv agora ele desenvolve 268 cv, embora o torque tenha caído – reflexo normal de motores com litragem inferior.

Aqui a vantagem se inverteu em relação ao 2.4: enquanto o consumo melhorou (entre 0,2 km por litro consumido) o desempenho piorou. A aceleração que era de 8,4 segundos (FWD) e 8,5 (AWD) agora leva pouco mais de um segundo a mais.

Mais comodidade

A versão V6 foi a que mais se beneficiou das novidades em relação aos equipamentos, mas todas as versões ganharam o freio de estacionamento elétrico, mais cômodo e que liberou o console central para receber mais porta-objetos. Exclusivo do V6 são a câmera de ré para facilitar as manobras, detalhes cromados no exterior, aquecimento dos bancos, sensores de chuva e crepuscular e som premium com 10 alto-falantes, entre outros.

O Captiva também está disponível em duas novas cores, o preto “Carbon Flash” e o cinza “Mocha”, que é na verdade uma espécie de marrom (e exclusiva do V6). Por dentro, a montadora eliminou o tom camarelo do acabamento e agora apenas o cinza e o preto estão disponíveis. Os preços das três versões permanecem os mesmos da linha 2010: R$ 90.299 para a versão 2.4 Ecotec, R$ 96.774 para a V6 FWD, e R$ 100.774 para a V6 AWD. A expectativa de vendas da Chevrolet é de 1.200 unidades mensais, o que, na sua previsão, significa manter uma participação de 10% no segmento de SUVs e crossovers em 2011.

Leia tudo sobre: ChevroletCaptiva2011Ecotecinjeção diretaV6lançamentos 2011crossover

PESQUISE CARROS

RANKING

Veículos mais vendidos - novembro de 2014

Pos. Modelo Vendas
Fiat Palio 15.399
Chevrolet Onix 14.484
Volkswagen Gol 12.024
Fiat Strada 11.435
Ford Ka 10.748
Hyundai HB20 10.688
Fiat Uno 10.473
Volkswagen Saveiro 8.643
Renault Sandero 8.309
10º Chevrolet Prisma 7.657
Veja ranking completo