Popular mexicano, Nissan March custará a partir de R$ 27.790

Hatch começa a ser vendido na semana que vem e traz pacote de equipamentos superior aos rivais nacionais

Ricardo Meier, de San Diego, EUA | 22/9/2011 14:09:00

Nissan March

É como se ele fosse brasileiro, mas com a vantagem de não pagar tantos impostos quanto os carros feitos aqui. O mais novo lançamento da Nissan no Brasil, o March, chega para brigar com gente grande do mercado - leia-se Gol e Uno -, e vem do México, país que virou o mais vantajoso lugar para se produzir carros para o consumidor brasileiro.

Sem pagar impostos de importação e fora das restrições criadas pelo governo com o aumento do IPI, o popular mexicano começa a ser vendido na próxima semana com preço bastante agressivo: R$ 27.790 para a versão de entrada, com motor 1.0 flex de 77 cv, câmbio manual e itens de série como airbags duplos, computador de bordo, ajuste de altura do banco, conta-giros, entre outros equipamentos incomuns para a categoria.

Com ar-condicionado, seu preço sobe para R$ 31.990, enquanto a configuração S pula para R$ 33.390. Já o March 1.6S, que só chega em novembro, sai por R$ 35.890 e vai subindo para R$ 37.990 (1.6SV) e R$ 39.990 (1.6SR).

Embora já exista, a transmissão automática foi deixada para 2012, segundo nos disse um executivo. Já o motor 1.6 flex  é novo, desenvolvido a partir do bloco 1.8 do Tiida. Possui 111 cv com uso de etanol e consome menos na cidade que o próprio 1.0 da versão de entrada. Há também uma série especial, SR, com adereços esportivos.

Participação dobrada

Embora seja forte em outros mercados como o americano e o mexicano - onde é líder -, a Nissan sempre teve um papel figurativo no mercado brasileiro. Nos últimos anos, essa situação começou a mudar. A marca abandonou o segmento premium - onde vendia poucos Muranos, Pathfinder e X-Trail - e se concentrou em modelos voltados à classe média, como os também mexicanos Sentra e Tiida e, mais recentemente, as minivans Livina e Grand Livina. Com isso, a marca dobrou sua participação, de 1% para 2%.

Agora, segundo disse ao iG Carros Christian Meunier, presidente da Nissan do Brasil, a meta é atingir a classe C com veículos acessíveis e bem equipados. Nessa estratégia está não só o March, como também o sedã Versa, cuja venda no País começará em novembro.

iG Carros avalia o March nesta quinta-feira e traz uma avaliação do hatch na sexta-feira, 23.

Leia tudo sobre: NissanMarchLançamentospreçohatch compactopopular