Panda seria um carro interessante no Brasil, diz Fiat

Por Ricardo Meier |

Mas executivo da montadora negou em Frankfurt que modelo poderia ser feito no país

Foto: Ricardo Meier
Fiat Panda
Veja galeria em tamanho maior

Depois de alguns salões sem novidades, a Fiat apresentou em Frankfurt o novo Panda, um veículo que tem um ar de déjà vu para os brasileiros. Sim, ele usa o design dos “quadrados arredondados” e tem proposta descontraída, mas a montadora nega qualquer relação com o nosso Uno.

“O Panda e o Uno nasceram juntos no design e compartilharam do mesmo conceito de criação, mas não têm nada em comum na parte mecânica”, disse ao iG Carros um executivo da montadora no Brasil. “O Panda tem porta-malas menor e espaço um pouco mais reduzido que o Uno e sua proposta é diferente também”, completou.

Questionado se o Panda teria mercado em nosso país, ele confirmou que haveria espaço para o modelo, que é uma espécie crossover compacto, segmento em que a Fiat hoje não possui nada semelhante. No entanto, garantiu que não há nada de concreto nesse sentido.

Casca igual, miolo não

O expediente usado hoje pelas principais montadoras instaladas no Brasil é utilizar apenas o visual de um carro lançado no exterior. Como a Europa produz modelos muito equipados e sofisticados, a solução encontrada foi manter partes mecânicas como motor, câmbio, direção, suspensão e até paineis já produzidos aqui e “vesti-los” com a nova casca. Na Fiat é o caso do Idea e do Punto, mas a GM também foi outra que usou desse recurso no Vectra que está saindo de linha.

Ou seja, o Panda poderia ser adaptado a alguma plataforma local – a do Uno seria a mais óbvia – e ocupar um espaço entre o compacto e o novo Palio.

Leia tudo sobre: FiatPandaUnoSalão de Frankfurt