Venda do Trax no Brasil depende do acordo automotivo

SUV compacto só teria preço viável se fosse importado do México

Sueli Osório | 28/9/2012 09:30

Foto: Getty Images Veja galeria em tamanho maior

Chevrolet Trax é lançado na Europa

O utilitário esportivo compacto Chevrolet Trax teve sua estreia mundial nesta quinta-feira (27) no Salão de Paris. Em entrevista ao iG Carros na capital francesa, o vice-presidente de comunicação, relações públicas e governamentais da General Motors do Brasil, Marcos Munhoz, revelou que a montadora aguarda o acordo automotivo para viabilizar a importação do modelo.

Segundo Munhoz, se o SUV for trazido da Coréia, onde passará a ser produzido agora (posteriormente será produzido também no México), por conta da taxa de importação de 35% e dos 30 pontos percentuais a mais no IPI para os modelos importados, seu preço ficaria muito acima do da concorrência. “Vendê-lo com preço muito superior ao do EcoSport o tornaria inviável”, afirmou Munhoz. O executivo acredita que o governo precisa achar uma solução.

De qualquer maneira, segundo Munhoz, o Trax não estará no Salão de São Paulo. As grandes atrações da Chevrolet na mostra brasileira serão o compacto Onix, que fará sua estreia no salão e terá lançamento para a imprensa entre os dias 29 e 31 de outubro no Rio Grande do Sul, e o TrailBlazer.

Munhoz afirmou que a GM ainda fará pesquisas para verificar a aceitação do Trax no mercado brasileiro, por meio de clínicas com potenciais consumidores. “Tenho certeza que a avaliação será positiva, mas o que a pesquisa vai nos dar será a até que preço poderemos oferecer o carro para equacionar a situação financeira.”

Acordo automotivo

A divulgação do acordo automotivo é esperada para esta sexta-feira (28), pois precisa ser anunciado 90 dias antes de entrar em vigor, o que deve ocorrer em janeiro de 2013. A intenção da GM é de trazer o Trax do México, onde também será produzido. “Temos uma cota de importação do México, de onde já trazemos o Captiva, que consome muito da cota porque é um carro caro, então precisamos de equação nova para o Trax.”

Na opinião de Munhoz, o acordo automotivo deverá ser muito complexo. Isso porque hoje, no Brasil, há grupos distintos. Um deles é dos grandes produtores, como VW, GM, Fiat e Ford, que estão há muitos anos produzindo no Brasil. Outro grupo é dos que querem fazer fábrica no Brasil mas esperam ter incentivo para isso; outros têm volume muito pequeno. “O governo tenta achar uma equação para agradar a todo mundo, algo setorizado.”

“Acho que o acordo tem que respeitar montadoras como VW, Ford , GM e Fiat, que produzem há anos no Brasil; além de gerar empregos, estamos fazendo engenharia,“ argumentou.

A Fiat também tem problemas com a cota de carros importados do México. Eles podem trazer 1.000 unidades do Fiat 500 e 500 unidades do Freemont. Para levar ao Brasil o 500 Cabrio, que está sendo apresentado em Paris, terão de negociar a cota.

Leia tudo sobre: Salão de ParisChevrolet TraxTraxChevroletSUV compactoGM

PESQUISE CARROS

RANKING

Veículos mais vendidos - dezembro de 2015

Pos. Modelo Vendas
Chevrolet Onix 14.215
Fiat Palio 12.085
Hyundai HB20 10.680
Renault Sandero 8.019
Chevrolet Prisma 7.275
Jeep Renegade 6.561
Fiat Strada 6.492
Ford Ka 6.346
Honda HR-V 6.167
10º Volkswagen Gol 6.138
Veja ranking completo