Conjunto é o mesmo da versão cupê, mas com reforços estruturais para manter uma rigidez torcional parecida

A versão conversível do Camaro ZL1 está entre as novidades que a GM  apresenta no Salão de Nova York (EUA), que será aberto ao público entre 25 de março e 3 de abril. A principal diferença na comparação com o modelo cupê fica por conta a maior rigidez estrutural para compensar a ausência da capota rígida, diz a fabricante, que garante que o desempenho não muda.

 O motor é o V8, de 649 cv, que pode funcionar com câmbio manual de seis marchas ou automático de DEZ (sim, dez, você não leu errado). No caso do ZL1 cupê,  conforme os números da GM ,  a aceleração de 0 a 100 km/h pode ser feita em apenas 3,9 segundos na versão automática e em 4,0 segundos com a caixa manual de seis. As máximas, ainda conforme a  GM , ficam em 296 km/h e 290 km/h, respectivamente.  

O pacote de equipamentos também é o mesmo do ZL1 cupê e inclui suspensão controlada eletronicamente, controle de largada, seletor do tipo de condução, entre uma série de outros itens. O visual “bad boy” inclui rodas de aro 20 feitas de alumínio forjado montadas em pneus Goodyear Eagle F1 Supercar, freio Brembo e enormes entradas de ar para refrigerar os freios e o motor V8 mais potente que já equipou um Camaro produzido em série em toda a história da GM

Nos Estados Unidos, as primeiras unidades do ZL1 conversível  começam a ser entregues no início de 2017. No Brasil, o ZL1 não deverá dar o ar da graça. Apenas a versão SS , no segundo semestre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.