Evento tem oito pavilhões, a maioria repleto de modelos vendidos apenas na China

O Salão de Pequim  (China) abre suas portas para o público quase sem supercarros e com poucas novidades voltadas ao mercado global. Apenas o Audi TT RS  e dois modelos da Citroën  são considerados avant-première: as novas gerações dos modelos DS4 e C6 . O forte mesmo são os modelos de marcas chinesas, alguns deles exóticos, como pode ser visto na galeria acima. A reportagem do iG Carros percorreu toda a área do evento e constatou que o mercado automotivo na China evoluiu bastante, mas ainda está amadurecendo, já que ainda existem algumas cópias de consagrados modelos europeus, japoneses e coreanos.

Uma das marcas que ainda não fabrica modelos com desenho próprio, sem recorrer ao que já fizeram antes, é a BAIC . O utilitário BJ80 é uma mistura de Land Rover Defender com os carros da Jeep  mais tradicionais. No caso do BJ20 , a cara lembra a do Cherokee atual, mas as lanternas traseiras têm traços do Range Rover Evoque . Dona de parte da PSA , a Dongfeng  também se inspira em sucessos do passado. Um dos seus modelos se parece com o veículo militar dos Estados Unidos, o Humvee .

Também chamam atenção os modelos exóticos da G Patton , com pintura fosca, rodas grandes e cheios de acessórios, que deixam os carros com cara de poucos amigos. Fora isso, a Zotye  resolveu pintar o SUV SR7 de rosa-choque e azul, imitando um céu estrelado. Ficou com gosto duvidoso, mesmo considerando foi mesmo chamar atenção. E, vamos combinar. Sedã espelhado, como o Changan Raeton , já caiu em desuso nos salões há algum tempo, não?

*Viagem a convite da Lifan

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.