SUV fabricado no Brasil terá motor 1.6 e apenas uma versão 2.0 com câmbio automático CVT. Outro destaque da marca é o substituto do Clio, o Kwid

Renault Captur
Carlos Guimarães/iG
Renault Captur

São dois os principais destaques da Renault no Salão do Automóvel 2016. Um deles é o utilitário esportivo Captur , que já está sendo fabricado em São José dos Pinhais (PR), mas começa a chegar às concessionárias da marca a partir de fevereiro de 2017. Tem a mesma base M0 do Duster e pode ser equipado com motor 1.6 ou 2.0 com câmbio CVT, na versão topo de linha. Será rival de modelos como Honda HR-V, Jeep Renegade e companhia e deverá partir de algo em torno de R$ 75 mil.

LEIA MAIS: Renault confirma lançamento de Captur, Koleos e Kwid para 2017

Com 4,33 metros de comprimento por 1,81 m de largura, 1,61 m de altura e 2,67 m de entre-eixos, o Captur pode ser considerado um modelo compacto. Ainda segundo a fabricante, a distância livre do solo é de 20,4 centímetros e o porta-malas conta com 387 litros sem o rebatimento dos encostos dos bancos traseiros. Com esse recurso, pode chegar a 1.200 litros.

Kwid, o substituto do Clio no Brasil

Renault Kwid Outsider
Carlos Guimarães/iG
Renault Kwid Outsider

Além do Captur , outro destaque da Renault é o pequeno hatch Kwid , que a marca francesa insiste em chamar de SUV pelo desenho que inspira robustez. De qualquer forma, o carro está com lançamento agendado no Brasil para a metade do ano que vem, com o novo motor 1.0, de três cilindros, que rende até 82 cv e cujos detalhes serão apresentados no fim do mês, quando a reportagem de iG Carros irá ter acesso a todas as informações sobre o novo propulsor.

LEIA MAIS:  Nova picace Alaskan é revelada. Chega ao Brasil em 2018

Interior do Kwid tem instrumentos analógicos, diferentes da versão indiana. No centro do painel fica a central multimídia
Carlos Guimarães/iG
Interior do Kwid tem instrumentos analógicos, diferentes da versão indiana. No centro do painel fica a central multimídia

De acordo com a fabricante, o Kwid feito no Brasil terá airbags frontais e laterais em todas as versões, além de 20% a mais de peso graças ao uso de chapas de aço de alta resistência. A marca também informa que o carro receberá ancoragem iSOFIX para cadeirinhas infantis, bem como reforços no monobloco. E diz que, para se ter uma idéia, o banco do motorista pesa 9 kg a mais que o indiano por conta dos reforços na estrutura.

No estande da Renault , a marca mostra apenas uma versão conceitual, com apelo aventureiro, batizada como Outsider. Vem com rodas de aro 15 diamantadas, molduras emborrachadas nos faróis e lanternas, entre outros detalhes. Por dentro, os instrumentos são analógicos e não digitais como no Kwid indiano. E no centro do painel fica a central multimídia, a mesma usada em toda linha da marca francesa atualmente.

LEIA MAIS: Renault Oroch ganha câmbio automático na linha 2017

Renault Kwid Outsider
Carlos Guimarães/iG
Renault Kwid Outsider


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.