Sedã recebe controle eletrônico de estabilidade e novo sistema multimídia para ganhar apelo

Nissan Sentra
Divulgação
Nissan Sentra


Não é à toa que o Nissan  Sentra  já ocupa o terceiro lugar no ranking de vendas de acordo com a Fenabrave (Federação dos Distribuidores de Veículos). O conjunto bem acertado do carro tem caído no gosto do brasileiro. E a linha 2016, que avaliei na versão  SL (R$ 86.290), agora vem com controles eletrônicos de estabilidade e tração de série também no  SV (R$ 76.990) e no topo de linha Unique (R$ 89.990).

Nissan Sentra
Divulgação
Nissan Sentra

São itens de segurança importantes para evitar acidentes quando é preciso fazer alguma manobra brusca, como desviar, de repente, de algum obstáculo na estrada, já que procura manter o carro dentro da trajetória ideal. Além disso, são equipamentos que o líder de vendas do segmento, o Toyota  Corolla , não oferece nem como opcional. E que o vice-lider, o Honda  Civic , tem apenas no EXR de R$ 94.100. 

Nissan Sentra
Divulgação
Nissan Sentra











O que é bom também é o espaço interno, suficiente para dar uma de patrão no banco traseiro e ler jornal de pernas cruzadas, com todo conforto. Se precisar levar bagagem, o cavernoso porta-malas tem 503 litros. Além disso, a suspensão trabalha bem e consegue absorver as irregularidades do piso sem prejudicar a estabilidade. E o silêncio também agrada, bem como a suavidade de funcionamento da direção elétrica e do câmbio automático CVT.

Porém, no dia a dia, rodando principalmente na cidade, com etanol, apesar do carro ter apresentado boa agilidade no trânsito, teve um consumo médio em torno de 5 km/l, pelo computador de bordo, o que é preocupante, já que o tanque não é dos maiores (52 litros) e a autonomia fica prejudicada. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.