Crossover fica mais à vontade em asfalto bem conservado e gosta de enfrentar apenas obstáculos urbanos

Na briga dos crossovers compactos de luxo, o Mercedes-Benz GLA 200 aposta numa pegada mais urbana e esportiva, sem muita aptidão para colocar as quarto rodas na lama. Com altura livre do solo de meros 13,4 centímetros, o carro pode até encarar valetas e lombadas com um pouco mais de valentia que um hatch médio, mas é bom ter cautela.

Para conferir qual é a do GLA , nada como pegar bons trechos de estrada, rumo ao interior de São Paulo. Foi o que fiz. Logo de cara já dá para notar que o habitat natural do carro é mesmo em asfalto bem conservado, caso contrário vai causar solavancos. Além do ajuste mais firme da suspensão, os pneus 235/50R 18 são do tipo “run flat”, aqueles que podem rodar por algumas dezenas de quilômetros mesmo furados, contanto que o velocímetro não ultrapasse 80 km/h. Portanto, não há estepe.

 Ok, em piso esburacado o GLA 200 não é um exemplo de conforto, em contrapartida, a estabilidade nas curvas é boa e chega até a empolgar. Na versão equipada com motor 1.6, turbo, de 156 cv, o carro não chega a ser um estouro. Apenas tem agilidade razoável e suficiente para ultrapassagens seguras, sem hesitar. O que ajuda é o câmbio de sete marchas, com dupla embreagem, com trocas sempre rápidas e precisas em qualquer situação.

Para uma tocada mais animada, há como selecionar o modo manual do câmbio por um botão no painel. É quando você assume o comando e faz as trocas pelas hastes atrás do volante de três raios, de boa empunhadura e revestido de couro perfurado. Nada mau. Bom também é que a direção tem assistência elétrica e consegue ser leve nas manobras e comunicativa em velocidades mais altas. De acordo com a Mercedes, o GLA 20 0 pode acelerar de 0 a 100 km/h em 8,8 segundos e atingir 215 km/h.

Se for devagar com o andor, basta acionar o botão Eco e acionar o sistema Stop/Start, que desliga o motor quando o carro estiver parado, tornando a ligá-lo automaticamente assim que o pedal de freio deixar de ser acionado. Nesse modo econômico, o câmbio procura manter o motor na rotação mais baixa possível. Para se ter uma ideia, a 120 km/h, em sétima, o contagiros aponta menos de 2.000 rpm. Mesmo assim, o GLA 200 faz somente 11,5 km/l na Estrada e 8,9 km/l na cidade, de acordo com os números da fabricante.

Bancos são confortáveis e até iluminados na parte do encosto de cabeça
Divulgação
Bancos são confortáveis e até iluminados na parte do encosto de cabeça

Também agradou a boa posicão de dirigir. O banco do motorista vem com regulagem elétrica pelos tradicionais botões da Mercedes instalados na lateral da porta. E todos os assentos vêm com iluminção na parte do encosto de cabeça, o que ajuda a criar um ambiente requintado, principalmente à noite (gostei, Dona Mercedes…).

A resposta dos freios, bem como a modulação do pedal são outros dois pontos que mostram o bom acerto do conjunto do carro ,tanto da parte mecânica, quanto da estrutural. Entretanto, no caso da versão GLA 200 , falta um pouco de força em baixa rotação, obrigando a pisar mais forte no acelerador para provocar uma redução de marcha, ou a reduzir uma ou mais marchas pelas hastes do volante.

Para ganhar um pouco mais de espaço no console central, a Mercedes resolveu adotar a alavanca do câmbio na coluna de direção, o que exige certo tempo de adaptação, mas logo se acostuma. Além disso, também é preciso se adaptar ao freio de estacionamento na parte inferior esquerda do painel e ao acionamento do limpador de para-brisa por um botão giratório na ponta da mesma alavanca que liga as setas laterais.

Tela da central multimídia parece um tablet encaixado no painel
Divulgação
Tela da central multimídia parece um tablet encaixado no painel

Entretanto, o que mais incomoda é tentar lidar com a central multimídia, difícil de se conectar com qualquer celular e com funcionamento pouco intuitivo. Outro problema é que a tela de 17,8 polegadas não é sensível ao toque e poderia estar melhor integrada ao painel, sem parecer um tablet simplesmente encaixado. Pelo menos, ao engatar a marcha à ré, a tela mostra bem as imagens atrás do carro em um ângulo bem abrangente. E vem com Park Assist, sistema que ajuda a estacionar, girando o volante sozinho para encaixar o carro na vaga, bastando ao motorista apenas controlar o acelerador, os freios e o câmbio.

Se for viajar com a família, o GLA pode levar três adultos e duas crianças e suas respectivas bagagens sem muito aperto no porta-malas de 421 litros. Há um volume razoável de porta-objetos. Mas para um carro que custa  R$ 149.900 na versão Vision 200 faltou um pouco mais de cuidado com alguns detalhes de acabamento, como os encaixes da cobertura do porta-malas que parece ter saído de um modelo popular.

Ficha técnica

Motor: 2.0, gasolina,  4 cilindros                                   Comprimento:  4,42 m

Potência: 156 cv a 5.300 rpm                                       Largura:  1,80 m 

Torque: 25,5 kgfm a 1.250 rpm                                     Altura:  1,49 m    

Câmbio: Automatizado, 7 marchas, tração dianteira     Entre-eixos:   2,69 m

Peso: 1.435 kg                                                               Porta-malas: 421 litros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.