Tamanho do texto

Agora vendido apenas com motor 1.6 turbo flex, que rende até 173 cv, modelo também recebe mudanças para ficar mais econômico

Citroën C4 Lounge THP Flex 2017
Carlos Guimarães/iG
Citroën C4 Lounge THP Flex 2017

Da série “sedãs médios injustiçados”, o Citroën C4 Lounge THP também pode ser incluído no elenco com méritos. Com apenas o nono lugar no ranking de vendas do segmento, o carro é vendido a partir de R$ 73.590, tem boa relação entre custo e benefício e, na linha 2017, passa a ser vendido apenas com o eficiente motor 1.6 THP, cujo desenvolvimento foi feito pela PSA em parceria com a BMW , entre outras novidades. Uma delas é o sistema que desacopla a bateria do alternador quando estiver carregada, o que ajuda a reduzir um pouco o consumo.

LEIA MAIS: Citroën C4 Cactus vai chegar ao Brasil apenas no fim de 2017

Outra mudança da linha 2017 é a função Eco Drive do câmbio automático, que muda o modo de funcionamento da caixa para economizar até 5% de combustível ao procurar manter o giro do motor o mais baixo possível . E agora o controle eletrônico de estabilidade (ESP) é de série, com a função Hill Assist, que mantém o carro parado por alguns segundos ao soltar o freio em uma subida.

A lista de novos equipamentos de série do C4 Lounge também passa a ter controle de cruzeiro (“piloto automático”). E há também a nova central multimídia com câmera de ré e tela sensível ao toque, de sete polegadas, com espelhamento de celular e reconhecimento de voz, tanto para Android quanto para iOS.

Rodando no dia a dia

No dia a dia, o C4 Lounge THP se mostra sempre confortável, mas com uma pitada de esportividade. A suspensão independente na frente e com eixo de torção na traseira dá conta do recado.  Não bastasse a boa filtragem, o conjunto convence ao manter o carro estável nas curvas, principalmente as de raio mais longo, ajudado pelos pneus Michelin 225/45R 17 e pelo amplo entre-eixos de 2,71 metros (ante 2,70 m de Fluence , Cruze e Civic e 2,60 m do  Corolla ). Os freios com ABS também funcionam a contento e, na hora de estacionar, os sensores nos para-choques o visor no painel ajudam a manobrar, já que a traseira alta acaba dificultando a visibilidade.

LEIA MAIS: Citroën C4 Picasso mostra toda sua vocação de carro familiar

 O que poderia mudar no C4 Lounge é o volante, maior do que o ideal,  longe de ter boa empulhadura e com mais botões do que deveria, exigindo um certo período de adaptação. Outro detalhe que deveria ser revisto é o quadro de instrumentos com barras digitais que ficam difíceis de serem vistas se estiver um dia muito claro e o sol bater direto no cluster.

Citroën C4 Lounge 2017
Divulgação/Citroën
Citroën C4 Lounge 2017

De resto, o carro agrada pela lista generosa de equipamentos de série, que inclui itens como controles eletrônicos de estabilidade e tração, faróis de neblina, rodas de liga-leve de aro 16, saída de ar-condicionado para o banco traseiro, além de vidros e retrovisores elétricos desde a versão mais em conta. No caso da topo de linha Exclusive (R$ 95.990), como a que avaliamos, ainda  há rodas de aro 17 diamantadas, partida por botão, bancos de couro, luzes de LED, sensores no para-choque traseiro para ajudar a estacionar, multimídia com tela sensível ao toque e teto solar.

 Outra qualidade do C4 Lounge é que o motor 1.6 THP  flex funciona bem com o câmbio automático Aisin, de seis marchas. No trânsito do dia a dia, pisando de leve no acelerador, as trocas de marcha são feitas um pouco acima de 1.500 rpm, buscando mais economia de combustível e menor nível de ruído. E na estrada, com os mesmos objetivos, procura chegar em sexta (sobremarcha) o mais rápido possível. Mas se você passar da música clássica para um rock pesado vai ter que fazer as trocas sequenciais com toques para frente e para trás na própria alavanca já que não há hastes atrás do volante.

LEIA MAIS: Citroën C3 Aircross Feel 1.6: evolução da espécie

 Assim como nas outras versões do C4 Lounge, o espaço interno é um dos pontos fortes do carro. Há como acomodar sem aperto cinco ocupantes no interior do carro e  suas bagagens no porta-malas de 450 litros. Pelo menos na versão topo de linha avaliada o acabamento é aceitável, mas o desenho do painel já pede atualizações mais significativas, uma vez que o carro foi lançado há 4 anos. Na China, o carro já recebeu mudanças no visual, tanto por dentro quanto por for a que devem logo serem adotadas nas unidades vendidas no Brasil. No interior, uma das mudanças é o freio de estacionamento eletrônico no lugar do convencional, com alavanca.

Ficha Técnica

Preço: a partir de R$ 73.590

Motor: 1.6, quatro cilindros, turbo, flex

Potência: 173 cv a 6.000 rpm

Torque: 24,5 kgfm a  1.400 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) / multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 225/45 R17

Dimensões: 4,62 m (comprimento) / 1,78 m (largura) / 1,51 m (altura), 2,71 m (entre-eixos)

Tanque : 60 litros

Consumo: 10,5 km/l (cidade) /13,2 km/l (estrada) com gasolina

0 a 100 km/h: 9,1 segundos 

Vel. Max: 215 km/h