Hatch médio tem a dura missão de enfrentar os fortes rivais Golf e Focus num segmento que perdeu bastante espaço com a chegada dos SUVs

Cruze Sport 6 evoluiu se comparado ao Vectra GT, mas faltam alguns detalhes para estar de acordo  com o caráter esportivo
Nicolas Tavares/iG
Cruze Sport 6 evoluiu se comparado ao Vectra GT, mas faltam alguns detalhes para estar de acordo com o caráter esportivo

Muita coisa mudou no terreno dos hatches médios nos últimos anos no Brasil. No tempo em que a GM vendia o Vectra GT , em 2010, o segmento representava 6,7% das vendas totais do País. A onda dos SUVs ainda não tinha invadido o mercado e até algumas famílias mais descoladas optavam por ter um carro desses na garagem. Hoje os modelos médios de dois volumes representam apenas 1,9% de tudo o que é vendido no País e passaram a fazer parte de um nicho que sobrevive de quem busca certa esportividade e torce o nariz para os utilitários esportivos.

LEIA MAIS: GM lança nova geração do Cruze Sport 6. Confira mais detalhes

Dentro desse contexto, eis que aparece um hatch médio inédito no mercado brasileiro: o novo Cruze Sport 6 , que pode ser considerado o neto do Vectra GT , modelo vovô que travou uma briga acirrada com Hyundai i30 , Ford Focus e Volkswagen Golf por uma fatia bem maior do mercado. Por isso, já prestes a ser substituído pelo Cruze anterior ao vendido atualmente, o veterano vinha equipado até os dentes, que já era dos pré-requisitos para ser competitivo, tendência que foi se acentuando ao longo do tempo, como pode você vai notar comparando os dois modelos da GM de épocas diferentes numa conversa familar.

Diálogo entre avô e neto

Vectra GT :   Vem cá, meu neto Cruze , você tem uma dura missão pela frente. Enfrentar os tais de Golf e Focus não vai ser fácil, ainda mais nesses tempos de crise e que aqueles SUVs chegaram para tirar o nosso lugar…Vamos ver se está bem preparado. Hummm, pelo o que eu vi, vem bem equipado... Na versão LTZ Plus tem alerta de colisão frontal, aviso de ponto cego, além de assistentes de permanência em faixa e de estacionamento. Conta também com carregador de celular por indução e banco do motorista com ajuste elétrico.

É uma boa lista, mas a luta agora é mais dura do que no meu tempo…Por isso, por ser uma versão topo de linha e considerando os fortes concorrentes no mercado, faltou o controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo, aquele que mantém uma distância programada do carro da frente. Também podia ter hastes atrás do volante para trocas de marcha sequenciais e o botão Sport no câmbio para deixar o sistema de transmissão mais ágil, afinal os compradores de hatches médios ficaram ainda mais exigentes com essa questão do desempenho.

LEIA MAIS:  Novo Cruze chega a fazer 14 km/h em teste nos Estados Unidos

Cruze Sport 6 : Pois é, vovô, mas meu motor 1.4 turbo, de 153 cv, é bem mais eficiente que o seu 2.0 aspirado. Sem bem que tinha bons 140 cv com apenas etanol no tanque, né? Tudo bem sobre o que me falou sobre o câmbio. O seu tem apenas 4 marchas ante as 6 do meu, mas vinha até com mais recursos, como a tecla Sport, comando para rodar em pisos escorregadios e o sistema que permitia aplicar menos força no pedal de freio com o carro parado e o Drive engatado. 

Vectra GT: Anda lendo revistas antigas, é? Bom, como ia dizendo, você é um bom carro, meu neto, mas seus rivais são fortes.  Pelo o que percebi, o isolamento acústico caprichado é uma das suas principais qualidades, bem como o acerto da suspensão, que foi recalibrada na comparacão com o Cruze Sedan e ganhou eixo traseiro 10% mais rígido. Mas, pelo menos na versão mais equipada, te cairiam bem rodas que tivessem mais diferenças em relação às demais do que apenas a pintura cinza grafite. E, mesmo levando em conta que a conservação do asfalto da minha época para cá só piorou, bem que poderiam ter colocado pneus um pouco mais largos e de perfil baixo, como os meus (225/45R 17 ante os 215/50R), para te dar um caráter mais esportivo.

Cruze Sport 6Sim, vô, iria me sentir ainda mais à vontade nas curvas. Mas a minha carroceria é muito mais rígida que a sua, além de bem mais leve. Só na comparação com meu pai  (o Cruze Sport 6 anterior), tenho 20% menos de peso, o que também ajuda numa tocada mais animada, né? E mantenho a tradição de ter freios a disco nas quatro rodas, também aperfeiçoados para garantir espaços de frenagem mais curtos e transmitir segurança.

Vectra GT : É verdade, nesse aspecto você está bem acertado. A direção elétrica também ficou bem ajustada, com o peso adequado para um hatch médio de hoje em dia, além de ser comunicativa, sabendo transmitir para o motorista o que acontece entre os pneus e o asfalto. Mas é preciso ficar de olho no Golf e no Focus na questão do desempenho, meu neto. Pelo o que diz as fabricantes, você faz de 0 a 100 km/h em 9 segundos, tempo ligeiramente melhor que o do Focus 2.0 Titanium Plus (9,2 s), mas acima dos 8,3 s do Golf Highline 1.4 TSI. Porém, levando em conta a velocidade máxima, você fica na frente, meu neto (214 km/h, ante 209 km/h do VW e 206 km/h do Ford).

Cruze Sport 6 tem traseira mais baixa, o que acaba atrapalhando o espaço no banco traseiro se comparado ao Vectra GT
Nicolas Tavares/iG
Cruze Sport 6 tem traseira mais baixa, o que acaba atrapalhando o espaço no banco traseiro se comparado ao Vectra GT

Cruze Sport6 : É, a briga com esses dois não é nada fácil mesmo. Mas por que você não me diz o que acha de outras questões, como o espaço interno e um pouco mais sobre os equipamentos que ofereço? O sistema OnStar é um diferencial importante que tenho, não? Ok, agora não é mais de graça. Há planos de R$ 50, R$ 65 ou R$ 80 por mês, de acordo com os serviços disponíveis, que são vários e bastante úteis, como assistência de recuperação veicular em caso de furto, socorro mecânico, informações sobre pontos de interesse, entre outros.

LEIA MAIS:  Chevrolet Prisma voira um Cruze em miniatura, mas cobra por isso

Vectra GT : Claro, nem imaginava ter um recurso desses. O que vejo que te falta é de mais espaço no banco traseiro e no porta-malas. Pessoas com mais de 1,75 metro de altura vão raspar a cabeça no teto, o que não acontece comigo. E com apenas 290 litros vai ficar difícil acomodar a bagagem de cinco pessoas sem aperto. Até o meu espaço para carga é maior, com 345 litros. Se bem que, agora, as famílias estão preferindo aqueles SUVs para viajar, não é mesmo?

 Pelo o que deu para perceber nessa “conversa” entre um hatch médio antes da invasão dos SUVs e outro do que agora se transformou num interande de um nicho de mercado, é que falta uma pegada um pouco mais esportiva ao novo Cruze Sport 6 para enfrentrar seus dois principais rivais, o Golf e o Focus .

Apesar disso, o novo modelo da GM é um carro bastante confortável e bem mais econômico que a geração anterior, com ganho de 28% de eficiência, o que permitiu chegar nos 9,3 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada, conforme as informações do Inmetro. A carreira do recém-lançado Cruze Sport 6 está apenas começando. Vamos ver se consegue se sair melhor que o avô Vectra GT na sua época.

Ficha Técnica

Preço:  a partir de R$ 91.970 até R$ 114.590

Motor: 1.4, turbo, quatro cilindros em linha,  flex

Potência: 153 a 5.200 rpm

Torque: 24,5 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão: Automático de seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente McPherson (dianteira e traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus: 215/50 R17

Dimensões: 4,45 m (comprimento) / 1,81 m (largura) / 1,48 m (altura), 2,70 m (entre-eixos)

Tanque : 52 litros

Porta-malas: 290 litros

Consumo (E/G): 7,6 km/l / 9,3 km/l (cidade) e11,3 km/l / 13,6 km/l (estrada)


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.