Tamanho do texto

Premiado jornalista considerava despropósito ter um carro grande e beberrão. Vítima de acidente de helicóptero, ele deixará saudades

Por muitos anos, Ricardo Boechat conciliou sua rotina corrida entre jornais com um Renault Twingo
Reprodução/Instagram
Por muitos anos, Ricardo Boechat conciliou sua rotina corrida entre jornais com um Renault Twingo

A perda de Ricardo Boechat é um dano irreparável para a imprensa brasileira e seus milhares de admiradores. Ficamos órfãos de um dos jornalistas mais carismáticos e irreverentes do Brasil, e que também tinha gosto um tanto quanto peculiar para carros. Boechat constantemente falava de seu antigo Renault Twingo nas transmissões da BandNews FM, sendo este um de seus pontos mais cômicos. Tem até foto em que ele  posa ao lado de um segurança da Band durante um enquadro, por estacionar o compacto da marca francesa na vaga da chefia.

LEIA MAIS: Veja 5 subcompactos legais que nunca serão vendidos no Brasil

Perguntado por Amaury Jr. sobre o curioso compacto da Renault em uma entrevista disponível no YouTube, Boechat afirmou ter um “fetiche” por seu Twingo . “Não tenho outro carro, venho para o trabalho com ele. É azul, e não chama muita atenção. Acho despropósito ter um carro enorme e que gaste muito”.

O Twingo de Boechat virou arte

Alê Jordão aproveitou equipamentos do Twingo de Ricardo Boechat na exposição Spectrum, de 2015
Divulgação
Alê Jordão aproveitou equipamentos do Twingo de Ricardo Boechat na exposição Spectrum, de 2015

Em meados de 2015, Boechat doou seu Twingo para o artista plástico Alê Jordão reaproveitar suas partes na exposição Spectrum que foi exibida na Casa Eletcrolux (SP). O conceito, basicamente, vinha da utilização de metal e vidro obtido do desmanche do carro do jornalista para criar um ambiente de interação e novos significados, com amplo aproveitamento da luz para os efeitos. Na ocasião, o artista também abordou questões sobre sustentabilidade e reutilização de materiais descartados. Boechat, por sua vez, comprou outro modelo um ano depois - o exemplar azul da imagem de abertura.

LEIA MAIS: Renault Kwid elétrico poderá ser vendido no Brasil

O âncora ficaria feliz de saber que o Twingo continua sendo vendido na Europa, mantendo diversas características do antigo modelo brasileiro: carisma, versatilidade e economia de combustível.

Boechat dirigia um Twingo antigo. Na Europa, o modelo seguiu sua vida na categoria dos subcompactos premium
Divulgação
Boechat dirigia um Twingo antigo. Na Europa, o modelo seguiu sua vida na categoria dos subcompactos premium

Seu design não nega suas fortes influências no Fiat 500, que faz muito sucesso na Europa, e preserva o mesmo critério do carismático modelo clássico. O Twingo europeu está longe de ser um carro simples: kit conforto, multimídia e opções legais para o acabamento interno tiram qualquer aspecto de "pé-de-boi".

LEIA MAIS: Compactos econômicos: 5 modelos legais até R$ 45 mil

Parte do motor, como compartimento para bateria, radiador e líquido de arrefecimento, estão no capô. Todo o resto está localizado abaixo do porta-malas, com fácil acesso. O motor traseiro proporciona um ângulo de esterçamento muito melhor para as rodas dianteiras, tornando o Twingo um carro confortável de manobrar e que transmite segurança nas curvas. De fato, mesmo com suas opiniões ácidas, Boechat aprovaria o modelo europeu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas