Tamanho do texto

Baixas vendas incomodam executivos alemães e contrariam a nova política de corte de custos. Junto da picape, outros modelos da marca correm perigo

Classe X arrow-options
Divulgação
Mercedes-Benz Classe X: Após desistir de produzi-la na Argentina, a marca quer acabar com a picape de vez

Nem deu tempo de se assentar no mercado, e a Mercedes-Benz já cogita tirar a picape Classe X de linha no mundo, segundo o site Automotive News Europe . Os motivos para isso são a política atual que visa o corte de custos, que no início de julho, cortou pela quarta vez a previsão de lucro dentro de 13 meses. isso indica que mais modelos devem estar em maus bocados, junto à picape.

LEIA MAIS: Mercedes Classe X: Viagem, test-drive... Como é um lançamento internacional?

Lançada em 2017, o Mercedes-Benz Classe X teve apenas 16.700 unidades vendidas nas regiões de Europa, Austrália e África do Sul. Além disso, a percepção por parte dos consumidores é de que o veículo tem preço desproporcional ao que entrega. Na Alemanha, por exemplo, ela é encontrada a partir de 37.294 euros, o equivalente a R$ 155 mil.

Outro problema é que em mercados mais fortes para picapes, caso dos Estados Unidos, a Classe X já foi descartada. Saiu de rota até mesmo do Brasil, onde seria a primeira picape de marca premium — ao lado do Toyota Hilux, VW Amarok e outras — devido ao cancelamento da produção na Argentina. Se o jogo virar, a Mercedes-Benz desistirá da ideia, e inclusive, poderemos ver o início de sua fabricação no país vizinho, que seria um indicativo forte para vir ao mercado brasileiro.

LEIA MAIS: Nova Nissan Frontier agora tem 4 versões e ganha câmbio manual

Como é o Classe X

Nissan Frontier arrow-options
Divulgação
Mercedes-Benz Classe X tem acabamento superior ao Nissan Frontier, quem partilha muitos dos componentes

Baseada na  Nissan Frontier , a picape da Mercedes teria três opções de motor caso venha ao Brasil: 2.3 turbodiesel de 163 cv, 2.3 biturbo diesel de 190 cv (de origem Nissan), além do 3.0 V6 turbodiesel de 258 cv, utilizado pelo SUV GLE. No interior, conta com ajustes elétricos e de lombar para os bancos, além de sistema de ventilação e aquecimento.

O nível de acabamento é superior em relação ao da Nissan, com direito a imitação de aço escovado no painel e áreas de toque macio. Mas segue com partes de plástico duro e outros resquícios do “irmão” japonês, como a chave presencial, os botões dos vidros elétricos, a manopla do câmbio automático de sete marchas, os botões da base do console (como o seletor do tipo de tração), o botão de partida do motor, as maçanetas externas das portas e o retrovisor fotocromático são idênticos aos da picape parceira.

LEIA MAIS: Novo Mercedes-Benz GLB é revelado por completo, com sete lugares

Entre os equipamentos do Mercedes-Benz , tem assistente de mudança de faixa (acionado por um botão, faz o volante vibrar levemente quando a roda invade a outra pista), faróis de led, central multimídia de 8,4 polegadas, rodas de liga leve de 18 polegadas, comando de voz, sete airbags, controle de estabilidade e tração, limitador de velocidade, assistente de partida em rampa, controle eletrônico para descidas, volante multifuncional, ar-condicionado digital de duas zonas, botão SOS para emergência, isofix, três tomadas 12V e duas entradas USB.