Chevrolet S10 Z71 é força bruta com pinta de caminhonete americana

Tem espaço de caçamba e consumo dentro da média do segmento, mas os destaques são o desempenho e a capacidade de carga

Chevrolet S10 Z71: Com apelo de picape esportiva, o lançamento da GM chega com reforço de sua identidade
Foto: Guilherme Menezes/ iG Carros
Chevrolet S10 Z71: Com apelo de picape esportiva, o lançamento da GM chega com reforço de sua identidade

O Chevrolet S10 Z71 passa a ser mais uma das opções para os consumidores que carregam a necessidade de unir utilidade com estilo. Até o final de outubro (quando a Z71 foi lançada), Nissan Frontier Attack e Ford Ranger Storm — para citar algumas — eram praticamente as únicas que faziam o mesmo dentro do segmento das picapes médias. Enquanto isso, a Toyota confirma sua entrada nesse nicho com a Hilux GR Sport em 2022.

Quando focamos na Chevrolet S10 Z71 , encontramos um total de mais de 20 itens de personalização em relação à LTZ, versão esta que não está mais presente no catálogo, na data desta publicação.

Por R$ 274.800, a Z71 se destaca pela grade, faróis e lanternas com máscara negra, para-choques, molduras dos para-lamas e emblemas pintados de preto. Os estribos e o santantônio são de aço tubular, também na mesma cor.

A Chevrolet S10 Z71 vem equipada com seis airbags e pode ser adquirida em quatro opções de cores: Branca Summit, Prata Switchblade, Azul Eclipse e Cinza Topazio.

Outra novidade da Z71 são os pneus com ombros mais espessos e volumosos, escudos nas laterais para maior proteção e ainda são fabricados com uma composição de borracha mais resistente. Por isso cada pneu traz 320 gramas extra de material em relação ao modelo original do fornecedor.

Foto: Guilherme Menezes/ iG Carros
Esse nicho das picapes 'esportivadas' trouxe de volta os grafismos na carroceria, que eram mais comuns nos anos 90

Além do visual “malvado”, destaque vai para a sua mecânica. O modelo conta com o mesmo motor das outras versões, porém com a turbina redimensionada e a nova calibração do motor 2.8 turbodiesel , de 200 cv e 51 kgfm, com a transmissão automática AT6. A tração é ajustada por um seletor eletrônico no console central e dispõe do modo 4x4 com reduzida.

O resultado é uma aceleração até 100 km/h em apenas 10,1 segundos, capacidade de levar até 1134 kg de carga sobre a caçamba, ou até rebocar 3.500 kg, quando a carreta é equipada com sistema de freio próprio. Se deixarmos a VW Amarok V6 de lado, estamos falando da picape que mais oferece “marra” e desempenho.

Apesar disso, não é destaque em volume de caçamba (1061 litros) e consumo de combustível (8,3 km/l na cidade e 10,6 km/l na estrada, segundo o Inmetro) — ainda que a picape da GM não deixe nada a desejar, inclusive, nesses quesitos também.

Impressões

Foto: Divulgação
Interior até carrega selos da sua versão Z71, mas poderia ter mais elementos que a diferenciassem das demais

Quando partimos para o interior, vemos pontos positivos e negativos. O que é legal é que o aproveitamento de espaço interno para os ocupantes, e os dois fatores que mais contribuem para isso, quando estamos no banco traseiro, é o espaço para as pernas e o baixo túnel central. O sistema multimídia também é destaque positivo. Apesar da tela não ser tão grande, é fácil de se orientar pelas diferentes interfaces.

Já o que poderia ser melhor é o refinamento. Esse nicho cada vez mais aquecido das picapes estilosas, não dá muita margem para erro quando o assunto é refinamento, apesar das picapes médias não pedirem muitos “frufrus”. O exterior da S10 Z71 é perfeitamente trabalhado para a proposta e sem exageros. Para o meu gosto, supera a maioria das rivais.

Por outro lado, na parte de dentro, encontramos apenas dois logos “Z71”, alguns pontos pintados de preto brilhante e uma faixa de revestimento de couro diante do passageiro. Ou seja, seu interior poderia ser tão refinado quanto seu exterior.

Ao volante, não há qualquer objeção. De alguma forma, a GM conseguiu unir a robustez que todo veículo “pau para toda a obra” precisa, com características dinâmicas e ergonomia de automóvel. Entre as picapes médias , todas elas montadas sobre chassi (tirando a Toro), a S10 é uma das menos “saltitantes”.

O formato da coluna dianteira garante bom campo de visão, além do posicionamento do banco que permite dirigibilidade de SUV . A direção elétrica é outro tópico de destaque na cidade, bem como o seu ótimo isolamento acústico.

A ficha técnica da S10 pode ser confirmada quando pisamos fundo no acelerador. Com os controles de tração e estabilidade ativos, notamos como eles são importantes para segurar os “ânimos” da picape durante acelerações em curvas e no arranque em primeira marcha.

Quando ousamos desligá-los, certifique-se de que não há quem possa multá-lo nas proximidades, pois pneus vão gritar. Ela despeja uma força bem considerável ao solo.

Conclusão

A Chevrolet já vende a S10 há 27 anos no Brasil. Para quem acompanha a evolução do modelo, fica evidente que progride a cada geração que passa. A atual é a opção para quem procura algo a mais, tanto em desempenho e capacidade de carga, quanto em conforto.

Se procura a picape média que mais oferece espaço na caçamba e que os menores números de consumo, outras poderão servi-lo melhor, ainda que a S10 não deixe a desejar nesses quesitos. E o modelo da GM logo terá uma nova geração, que já está em desenvolvimento.

Nos testes que realizamos, agradou muito a sua coerência para o uso urbano, então garantimos que, sim, a Chevrolet S10 é uma boa pedida. A sua versão Z71, especificamente, vale a pena? Quando comparamos a “esportivada” com suas semelhantes, e a intenção do comprador for exaltar o estilo, com certeza vale.

Se a razão for mais forte do que o coração, não dá para esconder que o custo-benefício da versão inferior CD 2.8 TD (R$ 233.820) representa uma diferença irresistível para o bolso, sem abrir mão de tantos equipamentos. Com menos de R$ 40 mil, que é a diferença entre ela e a Z71, o dono poderá até encontrar acessórios de customização que a deixarão mais ao seu gosto — caso um dia chegue aquele arrependimento de não ter optado pela Z71.

Chevrolet S10 Z71 2022

Motor: 2.8, quatro cilindros, turbodiesel

Potência (cv): 200 a 3.600 rpm

Torque (kgfm): 51 a 2.000 rpm

Transmissão:  Automático, 6 marchas, tração integral

Suspensão:Independente (dianteira) e feixe de molas semielípticas (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 265/60 R18 

Dimensões: 5,41 m (comprimento) / 1,87 m (largura) / 1,84 m (altura), 3,09 m (entre-eixos)

Tanque : 76 litros

Caçamba: 1061 litros

Consumo: 8,7 km/l (cidade) /10,6 km/l (estrada) com diesel

0 a 100 km/h: 10,1 segundos 

Vel. Max: 180 km/h