Tamanho do texto

A Jeep fala nas opções de motores, câmbios, carroceria e entretenimento. Todas as versões virão sempre bem equipadas de fábrica

Jeep Wrangler 2018:  redução de até 90 kg de peso com suspensão de alumínio e opção de novo motor 2.0, sobrealimentado
Divulgação
Jeep Wrangler 2018: redução de até 90 kg de peso com suspensão de alumínio e opção de novo motor 2.0, sobrealimentado

A Jeep revela mais detalhes da nova geração do aventureiro Wrangler 2018,  modelo que será apresentado pela primeira vez no Salão de Los Angeles (EUA), entre os dias 1 e 10 de dezembro e deverá ser vendido no Brasil a partir do segundo semestre de 2018. Entre as principais novidades, há menos peso, mais tecnologia e um  novo motor 2.0, sobrealimentado por turbocompressor. Disponível com teto rígido ou conversível, além de 2 ou 4 portas, o chassi recebe melhorias, bem como o conjunto de suspensão, agora feito de alumínio. O resultado é uma redução de 90 kg e ganho de desempenho, principalmente em curvas, ao que tudo indica.

LEIA MAIS: Jeep Wrangler tem o seu interior revelado e será exposto no Salão de Los Angeles

O Jeep Wrangler tem, agora, um interior mais moderno do que nas gerações anteriores. Entre as tecnologias embarcadas, merece destaque o sistema multimídia, com telas de 5,7 polegadas e opção de 8,4, que incluem Apple CarPlay, Android Auto e ponto para WiFi, com duas entradas USB e duas tomadas 12V.

LEIA MAIS: Jeep Compass chega à linha 2018 com nova versão a diesel, entre outros itens

Versões

O carro estará disponível em quatro versões: a Sport, Sport S, Saara e a Rubicon, onde em cada uma dessas versões é possível optar entre um motor 6 cilindros de 3,6 litros de 285 cv e 35,2 kgfm, ou um 2.0, turboalimentado de 268 cv e 40 kgfm, que são acoplado aocâmbio manual de 6 marchas ou automático de 8, dependendo da versão. Além disso,  no sistema de tração, haverá como optar por 4x2 ou 4x4.  De acordo com a fabricante,  esse jipe, ao contrário do que ocorre em muitos carros, é completo, bem acabado, equipado e projetado em qualquer configuração.

LEIA MAIS: Jeep Compass, Honda HR-V, Renault Kwid e outros SUVs “líquidos”

Curiosamente, a versão de 2.0  virá equipada com bateria de 48V e um alternador para compor seu desempenho, o que faz do off-road um híbrido não convencional, já que o motor a combustão ainda tem uma participação quase absoluta para a movimentação do carro, ao contrário da maioria dos híbridos, que contam com uma atuação mais equitativa entre o motor a combustão e o elétrico. A Jeep declara que, futuramente, vai disponibilizar a nova motorização para a linha, composta por um motor diesel, com 3 litros de cilindrada.