Comprar um carro usado pode valer a pena, mas requer bastante atenção aos detalhes. Veja o que o especialista tem a dizer

Compra de carro usado
Divulgação
Compra de carro usado

De acordo com dados da Fenabrave, a cada veículo zero km vendido no Brasil, 5 carros usados são comercializados. Em época de crise econômica, veículos seminovos, com até 3 anos de uso, em bom estado e com novas tecnologias embarcadas, se tornaram o "sonho possível" dos brasileiros. Com tanta oferta de carro usado, não é difícil se deparar com valores muito altos, carros em estado ruim de conservação ou até mesmo ofertas falsas, levando o interessado para uma emboscada.

LEIA MAIS: Confira 5 itens que desvalorizam o carro na hora da revenda

Para comprar um carro usado com o melhor custo-benefício (valor x conservação), Mauricio Tilhe e Marcus Vinicius Martins, fundadores do site de consultoria www.vendabemseuusado.com - que atua na venda segura de veículos na hora de comprar um carro diretamente de um vendedor particular - trazem algumas dicas sobre o que ficar atento ao analisar uma oferta.

LEIA MAIS: Os 10 carros mais econômicos da linha 2017 segundo o Inmetro

1) Observar detalhes na lataria do carro

A lataria entrega muito do histórico de acidentes que o carro já passou. Nem tudo o que reluz é ouro. Logo, tome cuidado
Divulgação
A lataria entrega muito do histórico de acidentes que o carro já passou. Nem tudo o que reluz é ouro. Logo, tome cuidado

Não é preciso ser um especialista para perceber alguns pontos que podem ser indicativos de que o carro foi bem cuidado ou não. Fique atento a mudanças de tonalidade na pintura, ou ondulações na lataria. Procure pequenas diferenças de largura entre as frestas das portas, mala ou do capô, e o restante da lataria. Abra a mala e a frente do carro e observe por dentro se há indícios de terem sido contorcidos. "Todos esses pontos são fáceis de serem visualizados e podem facilmente demonstrar que o veículo sofreu algum acidente mais grave no passado" afirma Mauricio. Nem sempre o que se vê na foto é o que se encontra ao vivo, logo, fique atento.

LEIA MAIS: Conheça 5 carros seminovos para você fugir na hora da compra

2) Manutenção do carro

Veja sinais que indiquem necessidade de manutenção e cruze a avaliação com as datas que o carro passou por oficinas
Divulgação
Veja sinais que indiquem necessidade de manutenção e cruze a avaliação com as datas que o carro passou por oficinas

Para os veículos com até 3 anos de idade, em geral, as revisões são realizadas em concessionária, para manter a vigência da garantia. Nesse caso, peça o manual do carro para checar se todas as revisões estão em dia. Carros mais antigos podem exigir uma checagem diretamente no veículo, além dos comprovantes de manutenção. A maior parte dos equipamentos e funcionalidades de um veículo podem ser testadas ou verificadas de forma bem simples, tais como retrovisores elétricos, ar condicionado, bancos de couro e bancos elétricos ou com aquecimento, travas e vidros elétricos, luzes do painel, estepe, dentre outros. É importante também ligar o carro e deixá-lo funcionando por alguns minutos e checar temperatura ou fumaça no escapamento. Outras partes, tais como pneus, amortecedores, bateria, correia dentada e freios, contam com a informação do tempo útil de vida ou quilometragem no manual, e, nesse caso, basta pedir comprovantes ou recibos das trocas realizadas. Por último, observe se o veículo apresenta ruídos, trancos ou solavancos no motor, na direção e na caixa de marcha – nesse caso, é melhor contar com a opinião de um mecânico profissional.

Modificações na mecânica do carro, como turbo instalado por oficinas independentes, seguem o mesmo princípio. Mesmo com todas as regulamentações ou laudos, por conta do alcance de mercado menor, o carro tanto poderá não valorizar, quanto, até, perder valor.

3) Encontro com o vendedor

Veja o vendedor como o dono do carro, não um amigo. Por isso, não caia em sua lábia e foque na análise do carro
Divulgação
Veja o vendedor como o dono do carro, não um amigo. Por isso, não caia em sua lábia e foque na análise do carro

Esse é um ponto delicado, pois tanto vendedor quanto você certamente estarão preocupados com a segurança. Não deixe de pesquisar com antecedência o perfil do vendedor, perguntando o nome completo, onde trabalha e em que bairro mora. Utilize também as redes sociais para fazer algum tipo de verificação em relação à pessoa. Outro ponto muito importante é evitar ir sozinho e à noite. "Recomendamos encontros a luz do dia, sempre em pontos de grande circulação, como estacionamentos de shopping ou supermercados. Evite marcar em locais remotos, ou na casa do vendedor, mesmo que o ele se justifique dizendo que mora na região há anos", explica Marcus Vinicius.

4) Dê aquela voltinha antes no carro

Mesmo que você goste do carro que tem interesse, veja, ao volante, se roda suave e se há empatia com as sensações
Divulgação
Mesmo que você goste do carro que tem interesse, veja, ao volante, se roda suave e se há empatia com as sensações

Esse pode ser um pedido um pouco desconfortável para o vendedor, entretanto, é essencial que, quem compre, saiba o que está comprando. A hora de dirigir o carro é a melhor oportunidade para o comprador, uma vez que essa é a hora ideal de checar ruídos, odores suspeitos, trancos ou desalinhamentos. "Se for um modelo que nunca dirigiu, o primeiro benefício do test drive é checar o seu conforto ao volante. Outro ponto importante é verificar a embreagem: se o pedal estiver muito firme ou duro, a despesa para conserto será elevada e precisa ser negociada no valor final do carro. Engates de marcha devem ser simples, sem folgas ou ruídos estranhos, o mesmo valendo para mudanças em câmbio automático. Procure verificar também o alinhamento da direção, que não deve apresentar solavancos ou ruídos. Outros pontos importantes são a temperatura do veículo e o silêncio interno", diz Marcus Vinicius.

5) Negocie o valor final

A negociação permite que o comprador garanta o carro, como também a não perder dinheiro com despesas pendentes
Divulgação
A negociação permite que o comprador garanta o carro, como também a não perder dinheiro com despesas pendentes

O ideal é pesquisar alguns carros antes de fazer uma oferta final. Leve em consideração o máximo de fatores possível entre as ofertas, como a quilometragem, estado geral, origem e etc. Tudo isso além da própria tabela FIPE. Contudo, caso encontre as condições ideais, negocie para evitar perder a compra, principalmente se o perfil do vendedor trouxer mais tranquilidade para você. "Se você tomou todos os cuidados ao checar o carro, desde a lataria, manutenção, documentação, até o perfil do vendedor, então não perca tempo. Faça uma oferta justa e compre seu novo carro usado antes que outra pessoa faça isso em seu lugar" afirma Mauricio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.