Tamanho do texto

Foram vendidas apenas 1.945 unidades, ante as 3.336 do mês anterior. Atualmente, setor representa somente 1,35% do total das vendas

Vendas de carros importados no Brasil estão em baixa, prejudicadas por altas taxas, impostos e alíquotas
Divulgação
Vendas de carros importados no Brasil estão em baixa, prejudicadas por altas taxas, impostos e alíquotas

Se as coisas estão ruins para o mercado de automóveis produzidos no Brasil, ficam piores ainda para os importados. O último relatório de emplacamentos da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), foram vendidos 1.945 unidades no mês de janeiro, 41,7% menos do que as 3.336 unidades de dezembro de 2016. Comparado com janeiro de 2016, o índice é ainda pior, com queda de 47%.

LEIA MAIS:  Veja 5 carros que foram um fiasco de vendas no Brasil. Confira  a lista

Desde o aumento do IPI de 2012, o segmento dos carros importados vem reduzindo sua participação. Em janeiro, apenas 1,35% dos automóveis vendidos vieram de fora do país, o que representa 3.672 veículos – lembrando que os dados incluem apenas as empresas associadas à Abeifa, excluindo grandes marcas como Ford, GM e Volkswagen. As marcas que participam são Aston Martin, BMW, BYD, Chery, Ferrari, Geely, JAC, Jaguar Land Rover, Kia, Lamborghini, Lifan, Maserati, Mini, Porsche, Rolls-Royce, Suzuki e Volvo.

Poucas fabricantes conseguiram começar 2017 em alta. A JAC Motors foi uma delas, graças ao bom desempenho do utilitário T5. O SUV passou a contar com uma configuração com câmbio CVT, lançado em novembro, e que está ajudando nas vendas, a ponto de ser o importado que mais vendeu: 185 unidades. Somando os outros modelos como J3 e T6, emplacaram 290 veículos, apenas 5 a mais do que em janeiro de 2016. Jaguar, Mini e Porsche também tiveram resultados positivos. 

LEIA MAIS:  Brasil cai de 7º para 9º no ranking das vendas globais em 2016

Mesmo com o segundo carro importado mais vendido, a Kia continua presa pelas cotas de importação. O Sportage emplacou 180 unidades, bem acima dos outros modelos da marca coreana. Logo após vem o sedã Cerato, com 107 unidades e sem fôlego algum para disputar com os sedãs médios mais vendidos. O Volvo XC60 é o terceiro mais comercializado, com 159 unidades, mais do que o triplo do que o XC90 e suas 48 unidades.

Vida ruim para China

As marcas chinesas continuam com sérios problemas para emplacar no Brasil. A Chery, com sua fábrica em Jacareí (SP), conseguiu um respiro com o resultado de janeiro, emplacando 92 unidades produzidas por aqui, apenas três a mais do que no mesmo mês do ano passado. Dos modelos importados, como o SUV Tiggo, venderam 14 unidades. A Lifan é a que mais tem motivos para se preocupar.

LEIA MAIS:  Vendas de automóveis e comerciais leves fecham 2016 com queda de 19,8%

Suas vendas caíram para 161 unidades, 54,5% a menos do que no ano passado e 50,5% abaixo do resultado de dezembro. Com o fim de suas operações no Brasil, a Geely ainda aparece no relatório, tentando se livrar das últimas unidades em estoque.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.