De tempos em tempos mudam as tendências do mercado no Brasil. Já passou a época em que os chamados “ carros populares” representavam cerca de 80% das vendas no País. Ou que os modelos equipados com câmbio automático não eram vistos com bons olhos, bem como os de quatro portas, o que antes as pessoas achavam necessário apenas para táxis ou modelos de luxo. Agora quem mandam são os SUVs e a receita do sucesso também tem que incluir motor flex, 1.0, três cilindros e central multimídia.

LEIA MAIS: Confira cinco carros nacionais com defeitos crônicos. Confira a lista

 1 – Ford EcoSport (SUV) – 2003

undefined
Divulgação
Ford EcoSport

Pois é, o Eco foi o primeiro SUV compacto lançado no Brasil, no meio da Selva Amazônica, há 14 anos. De lá para cá foram aparecendo rivais, mas o modelo da Ford nadou de braçada no segmento por um bom tempo, pelo menos até 2011 com a chegada do Chevrolet Tracker e do Renault Duster, entre outros carros .

Mas, por ironia do destino, o modelo da marca americana foi ultrapassado nas vendas pelos atuais concorrentes e, mesmo depois da chegada da versão renovada, o que está previsto para junho, o carro será o único de segmento com estepe na traseira, que já caiu em desuso.

 2 – Volkswagen Gol (Flex) – 2003

undefined
Divulgação
Volkswagen Gol Total Flex

No mesmo ano em que a Ford lançou o EcoSport a Volkswagen apresentou o primeiro carro equipado com motor flex no Brasil, o Gol TotalFlex 1.6, que podia funcionar com etanol ou gasolina no tanque, puros os misturados em qualquer proporção. Na época, o então Presidente Lula esteve presente na apresentação. E, a partir daí, começaram a aparecer outros carros flex, como o Chevrolet Corsa 1.8 FlexPower, lançado logo em seguida.

LEIA MAIS:  Conheça cinco seminovos para ficar mais de três anos na sua garagem

Apesar de não ter sido a primeira marca a lançar um carro flex no Brasil, a Ford foi a pioneira em apresentar um modelo do gênero no Brasil, durante o evento de lançamento do Fiesta, em março de 2002, na então recém-inaugurada fábrica em Camaçari (BA).

3 – Fiat Mille (motor 1.0) – 1990

undefined
Divulgação
Fiat Uno Mille

Com o anúncio de que os carros com motores de até um litro de cilindrada teríam apenas 0,1% de alíquota de IPI as fabricantes no Brasil correram para lançar modelos do gênero. O primeiro a chegar foi o Fiat Uno Mille, uma vez que a marca italiana já tinha uma versão do carrinho  com motor 1.050 cc, vindo do 147. Bastou reduzir um pouco a cilindrada e pronto, lá estava a então ministra da Economia, Zélia Cardoso de Mello, ao lado do primeiro “carro popular” que apareceu no mercado brasileiro. Vinha com apenas um carburador e míseros 48,5 cv de potência, ante  77 cv do 1.0 que equipa hoje o Mobi Drive, por exemplo.

Depois da Fiat, em 1993, a Volkswagen veio com o Gol 1000 e a Ford com o Escort Hobby, ambos equipados com o mesmo motor AE, dos tempos da Autolatina, holding entre Ford e VW que durou até 1996. Outro 1.0 de sucesso foi o do Corsa, já com injeção eletrônica de combustível, que apareceu em 1994.

4 – Chevrolet Onix (central multimídia) – 2012

undefined
Divulgação/General Motors
Chevrolet Onix

A GM lançou o Onix em 2012 e apostou na central multimídia Mylink como principal vantagem em relação aos principais rivais. E acertou em cheio. Inclusive, o pioneirismo em oferecer esse equipamento é tido como um dos motivos pelos quais o modelo atingiu a liderança em vendas por dois anos seguidos no Brasil, a partir de 2015. A tela sensível ao toque, o preço acessível e a fácil conexão com a maioria dos celulares fez parte da sacada vitoriosa.

LEIA MAIS:  Veja 5 carros seminovos para você fugir na hora da compra. Saiba quais são

Atualmente, as centrais multimídia estão disponíveis em praticamente todas as linhas de modelos disponíveis no Brasil. E estão se aperfeiçoando, com espelhamento da tela de celulares Android e iOS e aceitando comandos por voz, entre outros recursos. O próximo passo será a possibilidade de poderem ser controladas por gestos.

5 – Kia Picanto (motor de três cilindros) – 2011

undefined
Divulgação
Kia Picanto

Quase que deu certo a estratégia da Kia para ver suas vendas dispararem no Brasil. A marca foi a primeira a lançar um carro com motor 1.0 flex, de três cilindros, no Brasil, no final de setembro de 2011. Mas o aumento repentino e abrupto das alíquotas de IPI para carros importados de marcas sem fábrica no País acabou subindo o preço do carro em 26%, o que tirou as chances do novo Picanto se popularizar por aqui.

O próximo da lista nas fabricantes com motor de três cilindros no Brasil foi a Hyundai, com o HB20, em 2012. E a Volkswagen veio em seguida com o Fox Bluemotion no ano seguinte, como parte da linha 2014. Foi a estreia do motor 1.0 que hoje equipa não apenas o Up!, mas também as versões mais em conta de Gol e Voyage.  

    Veja Também

      Mostrar mais