Tamanho do texto

Segundo a Fenabrave, estes foram os carros menos vendidos em 2016. Confira a lista dos carros menos vendidos de 2016 separada por segmento

As notícias sempre falam dos automóveis mais vendidos a cada mês ou no ano completo, mas é difícil ver um artigo que faça o oposto e revele quais foram os carros menos vendidos. Segundo os dados de emplacamento da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), estes foram os automóveis que tiveram o pior desempenho em 2016 dentro de seu segmento.

LEIA MAIS: Confira quais foram os 100 carros mais vendidos do mundo em 2016

Hatch de Entrada: Renault Clio - 10.869 unidades

Renault Clio 1.0
Divulgação
Renault Clio 1.0


Fora de linha desde outubro de 2016, o veterano Renault Clio finalmente deixa o mercado brasileiro, deixando espaço para a chegada do novo compacto Kwid – que chega às concessionárias em meados de 2017. A segunda geração do hatchback desempenhava o papel de carro de entrada da marca francesa. Porém, pela sua idade avançada, foi perdendo espaço para os rivais mais modernos e tornou-se um dos carros menos vendidos de 2016.

Hatch Compacto: Chery Celer – 854 unidades

Chery Celer
Divulgação/Chery
Chery Celer

O mercado está ruim e todas as fabricantes estão sofrendo. No entanto, a situação é ainda pior para a Chery, que ainda não conseguiu um modelo de sucesso para o Brasil. Produzido em Jacareí (SP), o hatchback Celer tem preço competitivo, mas não conquista o cliente brasileiro, fazendo com que venda menos do que até mesmo o Mini Cooper, que custa mais do que o dobro.

Hatch Médio: Fiat Bravo - 1.969 unidades

Fiat Bravo
Divulgação
Fiat Bravo

O segmento dos hatches médios vem perdendo espaço a cada ano, com a preferência do brasileiro passando para os sedãs médios ou SUVs. Dentre eles, o que menos vendeu foi o falecido Fiat Bravo. No Brasil desde 2010, chegou com três anos de atraso, já que foi lançado na Europa em 2007. Fez sucesso por um bom tempo, mas começou a ficar de lado com a chegada de concorrentes mais atuais, como a sétima geração do Volkswagen Golf e a terceira geração do Ford Focus. Saiu de linha em 2014 na Europa, substituído pelo novo Tipo. Por aqui, só teve a produção encerrada em janeiro deste ano. No seu lugar estará um novo hatchback, conhecido internamente como X6H e que será lançado até a metade do ano.

LEIA MAIS: Saiba quanto custa o seguro dos 10 carros mais seguros em 2016

Sedã Pequeno: Chery Celer Sedan - 508 unidades

Chery Celer Sedan
Divulgação
Chery Celer Sedan


Se a situação já está ruim para o Chery Celer, que está em um segmento mais barato, imagina só a dificuldade do Celer Sedan em emplacar entre os sedãs pequenos. Assim como o hatchback, o sedã é fabricado em Jacareí (SP) e aposta na velha fórmula chinesa de preço baixo e carro “completo”. Seu resultado o deixa muito abaixo de todos os concorrentes do segmento. O Chevrolet Classic, penúltimo colocado do segmento, emplacou 11.530 unidades.

Sedã Compacto: JAC J3 Turin – 444 unidades

JAC J3 Turin
Divulgação
JAC J3 Turin

O aumento do IPI fez com que todos os carros ficassem ainda mais caros. Pior para as marcas chinesas, já que a maioria importa seus modelos. O J3 Turin foi um dos que sofreram, já que seus preços tiveram que subir para compensar o imposto. Para piorar, está em um segmento que Chevrolet Cobalt e Honda City detêm 92% de participação – nem mesmo o Ford Fiesta Sedan consegue disputar, com 1.637 unidades emplacadas em 2016, só 4% de participação.

Sedã Médio: Peugeot 408 - 927 unidades

Peugeot 408 THP Flex
Peugeot 408 THP Flex
Peugeot 408 THP Flex

O caso do Peugeot 408 é bem curioso. Enquanto o sedã francês da marca do leão vendeu apenas 927 unidades em 2016, o Citroën C4 Lounge, seu homônimo da outra marca do Grupo PSA, emplacou 3.989 veículos no ano. Ambos contam com a mesma plataforma e motorização, além dos mesmos equipamentos. O preço poderia ser um fator, mas o 408 custa R$ 85.990, contra os R$ 84.990 do C4 Lounge equivalente. O Citroën ainda tem uma versão mais em conta, com câmbio manual, por R$ 75.990, mas de baixa procura. Com isso, é um dos carros menos vendidos de 2016.

Sedã Grande: Volkswagen Passat - 218 unidades

Volkswagen Passat
Divulgação
Volkswagen Passat


Os sedãs grandes são dominados quase que por completo pelos alemães. Audi, BMW e Mercedes-Benz tem uma participação muito grande, com apenas o Ford Fusion como intruso – que, por seu preço mais baixo, consegue superar em vendas. Tem outro alemão no segmento, o Volkswagen Passat, que acaba tendo suas vendas canibalizadas pelo Audi A4, por ser um modelo muito parecido em motorização e equipamentos.

Perua Compacta: Volkswagen SpaceCross - 545 unidades

Volkswagen SpaceCross
Divulgação
Volkswagen SpaceCross

Quem sofreu com a nova moda dos utilitários foram as station wagons, popularmente conhecidas no Brasil como peruas. A Fiat Weekend (antiga Palio Weekend) ainda consegue resultados, emplacando 7.302 unidades. Do outro lado está a Volkswagen SpaceCross, versão aventureira da SpaceFox, que vem amargando nas vendas. Emplacou apenas 545 unidades em 2016.

LEIA MAIS:  Confira 5 seminovos para ficar na sua garagem por mais de três anos

Perua Média: Audi A6 Allroad - 18 unidades

Audi AllRoad
Divulgação
Audi AllRoad

Se está ruim para as peruas compactas, fica pior ainda para as stations grandes, que chegam às concessionárias com preços muito mais altos. O modelo mais vendido é a Volkswagen Golf Variant, e olha que ela emplacou apenas 981 unidades em 2016. É a única SW de uma marca não-premium. As demais são Volvo V60, Audi A4 Avant e, na última posição, Audi A6 Allroad, que emplacou 18 unidades em um ano.

Utilitário Esportivo: Dodge Journey - 674 unidades

Dodge Journey
Divulgação
Dodge Journey

Tem muito SUV à venda no Brasil. A Fenabrave não divide os modelos por tamanho, então contabiliza apenas 40 veículos diferentes por mês, deixando alguns de fora. Na lista geral, quem tem o pior resultado é o Dodge Journey. Com 674 unidades emplacadas, tem vida complicada por chegar às lojas com um preço elevado e a idade avançada – foi lançado lá fora em 2009. Briga com concorrentes mais atuais, até mesmo dentro da própria FCA, como o Jeep Compass.

Picape Compacta: Chevrolet Montana - 14.769 unidades

Chevrolet Montana
Divulgação
Chevrolet Montana


Três picapes compactas disputam o título de mais vendida. A Fiat Strada domina com tranquilidade, por ter emplacado 59.443 unidades em 2016, o que não só faz com que lidere o segmento como também seja um dos carros mais vendidos do País. A Volkswagen Saveiro vem logo atrás, com 33.950. Quem se dá mal é a Chevrolet Montana, que emplacou 14.769 veículos, consequência da mecânica ultrapassada vinda do Agile (que até saiu de linha) e falta de versatilidade.

Picape Média: Nissan Frontier - 3.605 unidades

Nissan Frontier
Divulgação/Nissan
Nissan Frontier

O público que compra picapes grandes é um pouco mais tradicional, escolhendo os modelos que já conhecem e confiam. Assim, Toyota Hilux, Chevrolet S10 e Ford Ranger têm resultados melhores do que os concorrentes, que encontram compradores com gostos mais específicos. A Nissan Frontier até poderia ir melhor, mas a idade atrapalha. À espera da nova geração (que chega às concessionárias em março), emplacou apenas 3.605 unidades em 2016.

Monovolume: Mercedes-Benz Classe B - 156 unidades

Mercedes-Benz Classe B
Divulgação
Mercedes-Benz Classe B

Os Monocabs compõem um segmento bem estranho. É dominado pelo Honda Fit, um dos sucessos da marca japonesa e que está vendendo bem desde o lançamento da terceira geração, em 2014. A Fiat chama a atenção com Doblo e Idea – este último saiu de linha em janeiro deste ano. Quem se dá mal é o Mercedes-Benz Classe B, que tem uma participação mínima no Brasil, com 156 unidades emplacadas.

Minivan: JAC J6 - 58 unidades

JAC J6
Divulgação
JAC J6

Foi-se o tempo das minivans no Brasil. E não é por acaso que um dos integrantes desse segmento figura entre os carros menos vendidos em 2016. Com o público preferindo gastar com SUVs, as vans acabam servindo para clientes que tem necessidades mais específicas. A Chevrolet Spin domina o segmento, com 98% de participação. A JAC J6 até tenta disputar, mas tem um resultado pífio, emplacando 58 unidades em um ano – em novembro, apenas uma unidades foi emplacada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.